Escolha as suas informações

Monica Semedo deixa o DP
Luxemburgo 2 min. 27.01.2021

Monica Semedo deixa o DP

Monica Semedo deixa o DP

Foto: Guy Jallay/Luxemburger Wort
Luxemburgo 2 min. 27.01.2021

Monica Semedo deixa o DP

Susy MARTINS
Susy MARTINS
A decisão surge após o caso de assédio moral a três membros da sua equipa no cargo de eurodeputada.

A eurodeputada Monica Semedo, eleita pelo Partido Democrático (DP), anunciou esta terça-feira à noite a saída do partido. A decisão surge após o caso de assédio moral a três membros da sua equipa no cargo de eurodeputada

A deputada foi sancionada pelo Parlamento Europeu no caso  que levou mesmo os três assistentes parlamentares da deputada a despedirem-se dos cargos. Numa mensagem divulgada na sua conta oficial do Facebook (em baixo, em luxemburguês), Monica Semedo refere que "gostaria de se ter expressado de forma diferente nos últimos dias, mas o DP aconselhou-a a não fazê-lo". Uma recomendação que aceitou para proteger o partido. 

A eurodeputada de 36 anos diz que nos últimos dias "perdeu a confiança" e sentiu que o apoio do partido mudou, daí ter decidido sair. Monica Semedo não frisa, no entanto, se tenciona deixar o cargo de deputada europeia, avançando apenas que "vai continuar a empenhar-se a 100% em prol da população".


Vídeo. Desculpas de Monica Semedo não convencem Mulheres Socialistas
Veja o vídeo da suspensão da eurodeputada anunciada em plenário do Parlamento Europeu.

Pouco depois de a mensagem de Semedo ter sido publicada, foi a vez de o Partido Democrático tomar posição através de comunicado. Na nota, o DP diz defender valores como anti-discriminação, respeito e tolerância, valores que todos os seus membros devem respeitar. Acrescenta ainda ter tomado conhecimento da decisão de Monica através das redes sociais e garante que o comité executivo do partido falou várias vezes com a eurodeputada, deixando claro que o assédio moral é inaceitável. 

Na nota pode ler-se também que "por respeito aos três parlamentares vítimas de mobbing, foi pedido a Monica Semedo que não falasse à comunicação social até o assunto ter sido discutido pelo partido". Considerando que "não vira as costas aos seus membros", o DP lamenta que Monica Semedo tenha tomado esta decisão de forma unilateral, sem ter consultado o partido liberal.  

Filha de imigrantes cabo-verdianos no Luxemburgo, Monica Semedo conquistou um assento no Parlamento Europeu pelo DP em maio de 2019, a par com Isabel Wiseler-Lima, a outra eurodeputada do Grão-Ducado que fala português.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A sanção a Monica Semedo, aplicada pelo Parlamento Europeu (PE) por assédio moral contra três dos seus assistentes parlamentares, chega ao fim esta quinta-feira. A partir desse dia poderá voltar a assistir às sessões das comissões do PE.