Escolha as suas informações

Ministra da Saúde não exclui o reconfinamento no Luxemburgo
Luxemburgo 2 min. 06.07.2020 Do nosso arquivo online

Ministra da Saúde não exclui o reconfinamento no Luxemburgo

Ministra da Saúde não exclui o reconfinamento no Luxemburgo

Anouk Antony
Luxemburgo 2 min. 06.07.2020 Do nosso arquivo online

Ministra da Saúde não exclui o reconfinamento no Luxemburgo

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Paulette Lenert assume que 50 novas infeções num dia são "preocupantes", mas continua a apostar na prevenção para combater a doença. "Seria uma catástrofe" voltar à situação de março.

As novas infeções continuam a aumentar diariamente no Grão-Ducado. No dia 2 de julho registaram-se 50 novos casos de infeção, dia 4 mais 29 casos e ontem, domingo, mais 46 pessoas testaram positivo para o novo coronavírus.

Em duas entrevistas, ao Luxemburger Wort e ao Paperjam, a Ministra da Saúde apelou de novo ao respeito pelas medidas de prevenção e lembrou que atualmente, o maior aumento de casos de covid-19 se deve às festas privadas realizadas pelos habitantes que não respeitam os limites de pessoas, nem distanciamento social, nem uso de máscaras.

Perante este crescimento das infeções o Governo pondera recuar e impôr o reconfinamento?, questionou o Paperjam.


Covid-19. As autoridades preocupadas com o contágio dos lusófonos no Luxemburgo
Foi convocada uma conferência de imprensa para a próxima segunda-feira, com a presença da ministra da Saúde e os embaixadores de Portugal e de Cabo Verde para alertarem as comunidades para a necessidade de manterem práticas de distanciamento social.

“Tal nunca pode ser descartado. Nós estamos a ver: há países que devem recuar até ao início. Mas para mim seria um desastre, um fracasso total se chegasse a esse ponto”, assume Paulette Lenert, a esta revista.

"Sabemos mais sobre este vírus"

Além de que a situação agora é completamente diferente da vivida em março passado, realça a ministra na entrevista à edição francesa do Luxemburger Wort.  “Em março, não tínhamos outra escolha, estávamos perante o desconhecido. Agora nós - coletivamente – já sabemos mais sobre este vírus”. Paulette Lenert salienta também que o País está preparado para fazer face à epidemia e que as pessoas passaram a adotar medidas de prevenção.  

País preparado para epidemia

“Os stocks de equipamento de proteção existem (para fazer face a pelo menos quatro meses de crise); as pessoas aprenderam a proteger-se a si próprias e à saúde dos outros; os centros de cuidados avançados que desativámos são facilmente mobilizados de novo; a reserva de saúde está pronta; os hospitais sabem agora como se adaptar ao fluxo de doentes cobiçosos”, enumera a governante na entrevista ao Wort.


Covid-19. Jovens são infetados em festas e levam vírus para o trabalho
Cerca de 15% dos novos casos registam-se na faixa etária dos 25 aos 29 anos.

Por outro lado, o Luxemburgo está a acompanhar a situação ao pormenor, lembra a ministra:  “O País tem um acompanhamento preciso para avaliar a progressão ou regressão do número de casos (não apenas em números mas nos detalhes dos indivíduos); a teleconsulta médica tornou-se generalizada e a campanha de rastreio está a funcionar”.

Paulette Lenert aposta forte na campanha de prevenção “Stop The Party”e que a informação chegue a todos os habitantes para evitarem a realização das festas e continuarem a adotar as medidas de prevenção, distanciamento social e uso de máscara, para evitar contágios. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas