Escolha as suas informações

Ministra da Administração Interna: Obra de Vhils "faz justiça" a portugueses no Luxemburgo
Luxemburgo 5 2 min. 10.06.2016 Do nosso arquivo online

Ministra da Administração Interna: Obra de Vhils "faz justiça" a portugueses no Luxemburgo

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, participou hoje na cerimónia do 10 de Junho no Luxemburgo

Ministra da Administração Interna: Obra de Vhils "faz justiça" a portugueses no Luxemburgo

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, participou hoje na cerimónia do 10 de Junho no Luxemburgo
Luxemburgo 5 2 min. 10.06.2016 Do nosso arquivo online

Ministra da Administração Interna: Obra de Vhils "faz justiça" a portugueses no Luxemburgo

A ministra da Administração Interna considerou hoje que o monumento que o artista urbano Vhils vai realizar para homenagear os imigrantes portugueses no Luxemburgo "faz justiça à comunidade no país".

A ministra da Administração Interna considerou hoje que o monumento que o artista urbano Vhils vai realizar para homenagear os imigrantes portugueses no Luxemburgo "faz justiça à comunidade no país".

"A comunidade portuguesa no Luxemburgo é uma comunidade muito expressiva, bem integrada, que contribuiu muito para o desenvolvimento deste pequeno país europeu, e é de toda a justiça assinalar a sua importância", disse Constança Urbano de Sousa, que participou numa cerimónia para assinalar o 10 de Junho, no Instituto Camões no Grão-Ducado.

A ministra, que está hoje no Luxemburgo para participar no Conselho de Assuntos Internos da União Europeia, considerou ainda que a escolha do artista de rua para realizar o monumento é um "orgulho para os portugueses" e uma "mais-valia" para o país.

"O Vhils é talvez um dos expoentes máximos mundiais na arte pública, e é para os portugueses naturalmente um orgulho ter aqui um português a fazer uma obra que leva a excelência da arte portuguesa ao mundo", afirmou, frisando que "para o Luxemburgo será sempre uma mais-valia ter uma obra de arte pública de um português com a craveira" de Alexandre Farto.

O mural vai representar "o rosto de uma mulher ou de um homem", em "homenagem a todos os portugueses que ao longo das últimas décadas foram chegando ao Luxemburgo e que aqui vivem", disse o embaixador de Portugal no Grão-Ducado, Carlos Pereira Marques.

O nome de Vhils, que já tem um mural no país, mas que não está à vista do público, no edifício de alta segurança Freeport, foi proposto pela Embaixada à autarquia, que aprovou o projecto.

"Neste momento está-se à procura do local ideal. O Vhils trabalha em paredes já existentes, e portanto os serviços competentes da autarquia da cidade do Luxemburgo estão neste momento a tentar encontrar o local mais adequado para esse efeito", adiantou o diplomata, à margem de uma cerimónia para assinalar o Dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas junto ao busto de Camões, no exterior do Centro Cultural Português.

"Será mais um marco da nossa presença na sociedade luxemburguesa, e também estou muito contente com o facto de termos podido escolher um artista muito jovem, contemporâneo, com um trabalho arrojado mas reconhecido internacionalmente", disse o embaixador, adiantando que o artista está "muito entusiasmado" com o projecto.

No Luxemburgo, Vhils já esculpiu um mural de 26 metros por 10 no interior do Freeport, a primeira zona franca na União Europeia para armazenar obras de arte e artigos de luxo livres de impostos. Ao contrário de outros trabalhos do artista de rua, que atraiu a atenção do mundo a escavar paredes com retratos, o mural realizado para o Freeport em 2014 não pode ser visto pela generalidade do público, já que o acesso ao edifício de alta segurança é limitado.

No Luxemburgo vivem cerca de 100 mil portugueses, que representam 17 por cento da população.

P.T.A.


Notícias relacionadas

Capital vai ter nova obra do português Vhils
Conhecido por “Bansky português”, Vhils (Alexandre Farto), de 29 anos, é um graffiter famoso pelos seus rostos de grandes dimensões, esculpidos em paredes com berbequins e martelos pneumáticos.
O graffiter Vihls (Alexandre Farto) vai criar na cidade do Luxemburgo uma obra em homenagem à imigração portuguesa
Editorial: Que idade tem a comunidade portuguesa?
O CONTACTO festeja este ano o seu 45° aniversário. O jornal foi fundado em Janeiro de 1970, para informar a comunidade portuguesa no Luxemburgo. Ao comemorarmos esta data, surgiu-nos uma questão natural. Em que ano exacto situar o início da emigração portuguesa para o Luxemburgo?
Em Junho de 1965 uma missa na catedral do Luxemburgo juntou meio milhar de portugueses para celebrar pela primeira vez o Dia de Portugal no Grão-Ducado.
Depois disso houve um almoço eu ma festa. Foi o primeiro evento organizado pela comunidade portuguesa no Grão-Ducado de que há registo
Exposição: Luxemburgo e Portugal "trocam" obras de arte
O Museu Nacional de História e Arte do Luxemburgo vai ter patente a partir de 29 de Janeiro uma pintura do Museu de Arte Antiga em Lisboa, no âmbito da iniciativa “Obra Convidada”, que vai levar uma tela do museu luxemburguês também a Portugal.
O Museu Nacional de História e Arte do Luxemburgo, na capital, vai acolher uma obra do Museu de Arte antiga, em Lisboa