Escolha as suas informações

Ministra Cahen novamente vítima de antissemitismo
Luxemburgo 13.03.2019

Ministra Cahen novamente vítima de antissemitismo

Ministra Cahen novamente vítima de antissemitismo

Foto: Pierre Matgé
Luxemburgo 13.03.2019

Ministra Cahen novamente vítima de antissemitismo

Os atos antissemitas aumentam na Europa e a “situação piorou nos últimos anos”. A afirmação é do diretor da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia. Michael O’Flaherty esteve, esta semana, no Grão-Ducado, onde revelou novos dados que comprovam o recrudescimento deste fenómeno na União Europeia (UE).

O Luxemburgo não está isento deste flagelo, que até atinge membros do Governo. A ministra da Família e Integração, Corinne Cahen, de origem judaica, confiou à Rádio Latina ter apresentado uma queixa recentemente.

Trinta e oito por cento dos judeus que vivem na UE ponderam emigrar para Israel ou para os Estados Unidos da América por não se sentirem seguros. Já 85% classificam o antissemitismo na Europa um "problema sério" e 70% acusam os governos respetivos de não lutarem o suficiente contra o flagelo. Este é o resultado de uma sondagem a 16 mil pessoas de confissão judaica que vivem em 12 Estados-membros da UE. Esta consulta popular foi levada a cabo pela Agência para os Direitos Fundamentais da União Europeia, cujas conclusões foram apresentadas esta terça-feira no Parlamento luxemburguês pelo diretor da agência, Michael O’Flaherty.

No Luxemburgo, os atos antissemitas são cada vez mais visíveis, tendo até manchado a campanha eleitoral das legislativas de 14 de outubro. Um dos cartazes do Partido Democrático (DP) onde aparecia o primeiro-ministro, Xavier Bettel, e a ministra da Família e da Integração, Corinne Cahen, ambos com origens judaicas, foi vandalizado com a inscrição "judeus", lembrando as inscrições de cor amarela nas montras dos comerciantes judeus durante a II Guerra Mundial.

Recentemente, a ministra Cahen foi, de novo, vítima de antissemitismo, desta vez na rede social Facebook. Segundo a própria confiou à Rádio Latina tal aconteceu durante o Festival das Migrações - nos dias 1,2 e 3 de março, em Kirchberg - onde lhe dirigiram comentários "horríveis" que a deixaram "chocada". Cahen preferiu mesmo não divulgar o teor das observações.

A ministra já denunciou entretanto o caso às autoridades competentes e diz que "é preciso lutar contra esse tipo de pessoas" e acredita que a situação pode inverter-se através da educação.

Susy Martins / Manuela Pereira


Notícias relacionadas

Visita de Medvedev. EUA pressionam Luxemburgo sobre a Crimeia
A embaixada dos Estados Unidos da América (EUA) no Grão-Ducado instou o Governo luxemburguês a posicionar-se contra a anexação da Crimeia à Rússia. O ministro do Trabalho, Dan Kersch, rejeitou de imediato qualquer interferência dos Estados Unidos na política externa do Grão-Ducado.