Escolha as suas informações

Min. da Mobilidade quer continuar a garantir transportes públicos
Luxemburgo 26.03.2020

Min. da Mobilidade quer continuar a garantir transportes públicos

Min. da Mobilidade quer continuar a garantir transportes públicos

Foto: Guy Wolff
Luxemburgo 26.03.2020

Min. da Mobilidade quer continuar a garantir transportes públicos

Susy MARTINS
Susy MARTINS
"Temos de garantir os serviços mínimos", diz Bausch numa mensagem recente publicada nas redes sociais.

"Temos de garantir os serviços mínimos". É com estas palavras que o ministro da Mobilidade, François Bausch, justifica o facto de os condutores de autocarros e comboios terem de continuar a trabalhar, numa altura em que o apelo do governo é para que as pessoas fiquem em casa.

Num vídeo publicado recentemente nas redes sociais, o ministro explica que muitas pessoas têm de ir trabalhar e não têm automóvel, daí ser essencial manter o funcionamento dos transportes públicos. No entanto, François Bausch adianta que a cadência dos transportes foi reduzida. O elétrico, por exemplo, só circula de quinze em quinze minutos e poderá vir a circular ainda com menor frequência.



Luxemburgo. Alterações nos transportes públicos a partir de 24 de março
Adaptações na circulação incluem alterações no tráfego de comboios, autocarros e TGV

A mensagem do ministro da Mobilidade aparece num curto vídeo, divulgado no site do Governo, no qual François Bausch acrescenta ainda que os condutores de autocarro estão a ser protegidos da melhor forma possível: a porta da frente está fechada e os primeiros lugares não estão acessíveis aos passageiros, de forma a tentar evitar a propagação do novo coronavírus.

Bausch deixa ainda uma mensagem aos utentes para que estes respeitem as medidas de higiene e as instruções de não se aproximar dos condutores. E espera que o funcionamento dos transportes possa ser mantido nos próximos dias, mas admite que tudo vai depender da evolução da pandemia. A possibilidade de supressão total de todos os meios só deverá acontecer caso um número elevado de condutores fique de baixa. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas