Escolha as suas informações

Migrantes do "Sea Watch 3" desembarcam hoje. Luxemburgo é a próxima paragem
Luxemburgo 7 30.01.2019

Migrantes do "Sea Watch 3" desembarcam hoje. Luxemburgo é a próxima paragem

Migrantes do "Sea Watch 3" desembarcam hoje. Luxemburgo é a próxima paragem

Foto: AFP
Luxemburgo 7 30.01.2019

Migrantes do "Sea Watch 3" desembarcam hoje. Luxemburgo é a próxima paragem

Esta quarta-feira, os 47 migrantes que estão há 11 dias no barco humanitário "Sea Watch 3" vão poder desembarcar nas próximas horas, segundo o primeiro-ministro italiano, depois de seis países europeus, entre eles o Luxemburgo, terem chegado a um acordo com Itália.

"O Luxemburgo aderiu à lista de países amigos que responderam ao nosso convite [para receber os migrantes], agora somos sete países", disse o primeiro ministro italiano, Giuseppe Conte, numa conferência de imprensa em Milão. "O desembarque começará nas próximas horas". 

No dia 19 de janeiro, o navio "Sea Watch 3", da organização não-governamental (ONG) alemã homónima, salvou 47 pessoas que viajavam num barco próximo da costa da Líbia. Na embarcação encontram-se 15 menores a bordo, com idades entre os 14 e os 17 anos, e alguns viajam sozinhos.

Giuseppe Conte explicou que o desembarque acontecerá depois de seis países - Luxemburgo, Alemanha, Portugal, França, Roménia e Malta - terem respondido ao apelo para realocarem estas pessoas.

Os migrantes resgatados são oriundos da Guiné-Bissau, Guiné-Conacri e do Senegal (a grande maioria), mas também da República Centro-Africana, Costa do Marfim e da Gâmbia. Quatro cidadãos da Guiné-Bissau estão entre os 47 migrantes resgatados pelo navio “Sea Watch 3”, relatou na terça-feira à Lusa uma médica portuguesa que integra a missão de resgate. Entre eles, está um rapaz menor não acompanhado, segundo  a infeciologista Catarina Paulo.


Luxemburgo e mais sete países vão receber os 49 migrantes bloqueados
Oito países europeus, incluindo Luxemburgo e Portugal, vão receber os 49 migrantes resgatados há cerca de duas semanas e que permanecem no mar ao largo de Malta, nos termos de um acordo anunciado hoje pelo governo maltês.

Entre os migrantes que estão neste momento a bordo do navio “Sea Watch 3”, uma grande parte foi vítima de violência durante a sua passagem pela Líbia, país que se tornou a placa giratória para centenas de milhares de migrantes que tentam alcançar a Europa através do Mediterrâneo.

"Não somos peixes", lê-se nos cartazes de uma manifestação em defesa dos 47 migrantes, em Itália
"Não somos peixes", lê-se nos cartazes de uma manifestação em defesa dos 47 migrantes, em Itália
Foto: AFP

Cerca de 5.757 migrantes e refugiados chegaram à Europa por via marítima nos primeiros 27 dias deste ano, um pequeno aumento face às 5.502 chegadas registadas no mesmo período de 2018, divulgou hoje a Organização Internacional das Migrações (OIM).


Número de migrantes desaparecidos em naufrágio no Mediterrâneo sobe para 114
O número de migrantes desaparecidos após um naufrágio a 50 milhas da costa da Líbia subiu de 20 para 114, enquanto três foram resgatados e outros três morreram, anunciou hoje a Organização Internacional das Migrações (OIM) em Itália.

As mortes registadas nas três principais rotas do mar Mediterrâneo - Mediterrâneo Oriental (da Turquia para a Grécia), Mediterrâneo Central (da Líbia para Itália) e Mediterrâneo Ocidental (de Marrocos para Espanha) – foram 207 nestas primeiras quatro semanas do ano, de acordo com os mesmos dados. No ano passado, no mesmo período, foram contabilizadas 242 mortes.

Lusa


Notícias relacionadas

Fluxo migratório para a UE cai no primeiro trimestre
O fluxo migratório para a União Europeia (UE) reduziu-se em 63% em março e para metade no primeiro trimestre do ano, em termos homólogos, nas quatro principais rotas, divulgou hoje a agência europeia de gestão de fronteiras (Frontex).
EDITORIAL: Ei-los que chegam!
Cerca de seis mil migrantes foram resgatados no Mediterrâneo no último fim-de-semana e outros sete mil foram travados na Líbia quando se preparavam para embarcar para a Europa.
Migrants talk with a UNHCR member after disembarking from a merchant ship at the Sicilian harbour of Catania, southern Italy, May 5, 2015. Around forty migrants died in the Mediterranean on Sunday, according to survivors of the journey who arrived on the southern Italian island of Sicily on Tuesday, local Save the Children spokeswoman Giovanna Di Benedetto said. REUTERS/Antonio Parrinello