Escolha as suas informações

Metade dos trabalhadores do privado não tem contrato coletivo
Luxemburgo 21.12.2018 Do nosso arquivo online

Metade dos trabalhadores do privado não tem contrato coletivo

Metade dos trabalhadores do privado não tem contrato coletivo

Foto Anouk Antony
Luxemburgo 21.12.2018 Do nosso arquivo online

Metade dos trabalhadores do privado não tem contrato coletivo

Diana ALVES
Diana ALVES
Cerca de 50% dos trabalhadores do setor privado no Luxemburgo não têm contrato coletivo de trabalho, lamenta o presidente da central sindical OGBL.

André Roeltgen falou à Rádio Latina sobre a situação e insistiu na importância de se avançar com a lei sobre a valorização das contratações coletivas, contemplada no atual programa governamental.

O dirigente sindical exige que todos os trabalhadores do setor privado sejam abrangidos por acordos coletivos, para lhes garantir melhores condições de trabalho, incluindo mais dias de férias.

O sindicato OGBL está satisfeito com a introdução do novo feriado (9 de maio) e de mais um dia de férias – que entram em vigor em 2019 –, mas continua a reivindicar seis semanas de descanso por ano para os trabalhadores do privado.

André Roeltgen, presidente da OGBL, sindicato que defende que todos os trabalhadores do privado sejam abrangidos por um contrato coletivo de trabalho.


Notícias relacionadas