Escolha as suas informações

Mesmo com vacinação completa há risco de contaminação, diz Paulette Lenert
Luxemburgo 2 min. 08.07.2021
Ministra da Saúde

Mesmo com vacinação completa há risco de contaminação, diz Paulette Lenert

Ministra da Saúde

Mesmo com vacinação completa há risco de contaminação, diz Paulette Lenert

Foto:Guy Jallay/Luxemburger Wort
Luxemburgo 2 min. 08.07.2021
Ministra da Saúde

Mesmo com vacinação completa há risco de contaminação, diz Paulette Lenert

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Luxemburgo vai aplicar o cruzamento de vacinas e administrar terceiras doses do fármaco contra a covid-19, anunciou esta quinta-feira o Executivo grão-ducal.

"O risco de contrair covid-19 após ter sido é vacinado é pequeno, mas existe". A afirmação foi proferida esta tarde pela ministra da Saúde na conferência de imprensa sobre a nova 'lei covid' que vai vigorar entre 16 de julho e 14 de setembro.

Segundo os dados divulgados por Lenert, 1.915 pessoas contraíram o SARS-CoV-2 após a toma da primeira dose, enquanto 433 pessoas ficaram infetadas mesmo após a segunda dose. Destas, cerca de 298 contraíram covid-19 14 dias após a segunda toma.

Uma das pessoas infetadas foi, aliás, o próprio primeiro-ministro, Xavier Bettel, que contraiu covid-19 mesmo após a toma da primeira dose da vacina. Bettel esteve hospitalizado por vários dias e teve alta hospitalar esta quinta-feira.

Lenert reiterou a importância de respeitar as medidas de segurança, como o distanciamento físico ou o uso de máscara, mesmo para quem já tem a vacinação completa.  

Na conferência conjunta com Dan Kersch, o vice primeiro-ministro, esta tarde a ministra acrescentou que o Luxemburgo vai aplicar o cruzamento de vacinas e administrar terceiras doses do fármaco contra a covid-19. A ministra da Saúde, Paulette Lenert, explicou que as pessoas com menos de 55 anos que receberam uma primeira dose da AstraZeneca poderão agora receber uma segunda dose da Pfizer ou Moderna, mesmo enquanto aguardam o parecer final da Agência Europeia do Medicamento (EMA, em inglês).

A mesma medida aplica-se às pessoas que tiveram trombose e em que uma segunda dose da AstraZeneca é contra-indicada, acrescenta o Ministério da Saúde em comunicado.

O Conselho Superior das Doenças Infecciosas do Luxemburgo já tinha dado o  aval positivo quanto à combinação de duas vacinas covid-19 de marcas diferentes. Vários países da União Europeia já permitem, aliás, a combinação de vacinas de marcas diferentes, argumentando que o fármaco da AstraZeneca se torna mais eficaz, quando combinado com o fármaco da Pfizer ou a Moderna.   

A partir de meados de agosto, os médicos de família também vão poder administrar vacinas, informou ainda a ministra.


Reuniões com mais de 10 pessoas em casa apenas com 'CovidCheck'
Governo decidiu não introduzir medidas mais restritivas contra a pandemia, mas há ligeiras alterações. Cruzamento de vacinas e terceiras doses também vão ser possíveis. Nova lei vai vigorar entre 16 de julho e 14 de setembro.

Na conferência sobre a nova 'lei covid' que vai vigorar entre 16 de julho e 14 de setembro, o Governo informou que não vai introduzir medidas mais restritivas contra a pandemia, mas há uma "harmonização" das regras nos ajuntamentos públicos, como por exemplo no setor da Horeca, e privados. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas