Escolha as suas informações

Marcelo e Bettel feitos um para o outro. Um é ativo e o outro é hiperativo

Marcelo e Bettel feitos um para o outro. Um é ativo e o outro é hiperativo

Foto: SIP
Luxemburgo 29 4 min. 24.05.2017

Marcelo e Bettel feitos um para o outro. Um é ativo e o outro é hiperativo

Marcelo Rebelo de Sousa e Xavier Bettel estão em sintonia. O "ativo" Presidente da República diz que os portugueses no Luxemburgo se sentem em casa e o "hiperativo" primeiro-ministro do Grão-Ducado reforça a ideia dizendo que a comunidade lusa faz parte da família luxemburguesa.

Marcelo Rebelo de Sousa e Xavier Bettel estão em sintonia. O "ativo" Presidente da República diz que os portugueses no Luxemburgo se sentem em casa e o "hiperativo" primeiro-ministro do Grão-Ducado reforça a ideia dizendo que a comunidade lusa faz parte da família luxemburguesa.

A conferência de imprensa, depois do almoço oferecido por Xavier Bettel a Marcelo, no castelo de Bourglinster, ficou marcada pela boa disposição e troca de elogios.

"A comunidade portuguesa faz parte da família luxemburguesa", disse Xavier Bettel, mostrando-se "orgulhoso" depois de ter apresentado esta manhã a Marcelo Rebelo de Sousa vários trabalhadores portugueses da Sociedade Europeia de Satélites (SES) e polícias de origem portuguesa que o acompanham.

"Os portugueses estão em todos os setores de atividade e a integração bem-sucedida da comunidade portuguesa garantiu também a ascensão económica do Luxemburgo", congratulou-se Xavier Bettel.

O governante luxemburguês relembrou ainda o "importante papel de Portugal na história do Luxemburgo", frisando o episódio da família grã-ducal que fugiu para o exílio através de Lisboa, e elogiou mais uma vez a vitória de Portugal no Euro2016 e a mais recente vitória da Eurovisão.

Marcelo respondeu, frisando que esta é uma "visita singular", diferente das outras visitas de Estado que faz porque "é raro encontrar um país onde um quinto da população é portuguesa, e tão bem integrada".

Do encontro que teve com os portugueses no Luxemburgo, diz que "há um sentimento raro" de dupla pertença. "Senti isso nas ruas por onde passei nos últimos dois dias. No Luxemburgo sentimo-nos como em casa", acrescentou.

E os elogios lá continuaram, agora de forma mais descontraída. "Em Portugal eu passo por ser ativo, mas você bate-me nisso", disse Marcelo a Bettel, realçando a "energia e a hiperatividade" do luxemburguês.

"Fomos feitos para nos encontrarmos", respondeu Xavier Bettel.

Marcelo elogia recentes acordos com Luxemburgo

A relação entre Portugal e o Luxemburgo foi recentemente reforçada com a assinatura de cinco acordos de cooperação bilateral, nas áreas da ciência e tecnologia espacial, turismo, empreendedorismo e promoção da língua portuguesa, aquando da visita oficial do primeiro-ministro, António Costa, ao Grão-Ducado, no início de abril.

Marcelo Rebelo de Sousa elogiou a cooperação no setor dos satélites e realçou a importância do ensino da língua portuguesa desde o ensino pré-escolar e do ensino complementar. "Mas essa educação tem depois de ser reforçada com qualificação e mais tarde com o ensino superior", desafiou o chefe de Estado português, que teve depois um encontro com estudantes e professores portugueses na Universidade do Luxemburgo.

Na universidade de Belval, que tem atualmente 6.200 estudantes de 80 países, 500 deles de origem portuguesa, Marcelo quebrou o protocolo e fez-se rodear de estudantes. Disse sentir saudades do ambiente universitário e de ser professor.

A visita serviu também para a assinatura de um protocolo de cooperação entre as universidades do Luxemburgo e do Porto. O documento foi assinado pelos reitores das duas instituições, na presença de Marcelo Rebelo de Sousa e do Grão-Duque Henri, e de outras individualidades, entre elas o escritor e conselheiro cultural do PR, Pedro Mexia (membro do Governo Sombra, programa da TSF e TVI).

"Saída do procedimento de défice excessivo também é mérito dos portugueses"

Questionado pelos jornalistas sobre a saída de Portugal do procedimento de défice excessivo, Xavier Bettel disse que o mérito "não é só do Mário Centeno [ministro das Finanças], mas também do povo português, que fez muitos sacrifícios".

Sobre um eventual apoio a Mário Centeno para o lugar de Dijsselbloem à frente do Eurogrupo, o primeiro-ministro luxemburguês foi mais comedido: "Enquanto ele [Dijsselbloem] não apresentar demissão, não posso apoiar quem quer que seja".

Ainda no plano internacional, Xavier Bettel disse que o Luxemburgo e Portugal têm o mesmo desejo de construir a Europa, enquanto "muitos outros países não estão interessados nisso".

Marcelo defendeu, por sua vez, que "é preciso refazer a Europa a 27, responder aos novos desafios", sem tecnocracias, mas "com paixão".

O Presidente visita ainda hoje as exposições "Drawing the World", no Museu Nacional de História e de Arte, que estará patente até 15 de outubro, e que retrata a história de Portugal, nomeadamente dos descobrimentos, e "Coração Independente", de Joana Vasconcelos, na Catedral do Luxemburgo.

A visita de Estado termina com um concerto, às 19h, pela Orquestra Barroca da Casa da Música, na Philharmonie, antecedido da projeção de uma curta-metragem sobre os portugueses no Luxemburgo.

José Luís Correia

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

No Luxemburgo: Há portugueses "em todas as esquinas" - Marcelo
O Presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, comentou hoje que na cidade do Luxemburgo "há portugueses em todas as esquinas", enquanto percorria as ruas a distribuir beijos e a tirar 'selfies', desafiando a capacidade de improviso dos seguranças.