Escolha as suas informações

«Maisons médicales» das regiões centro e sul vão crescer e mudar de morada
Luxemburgo 22.01.2021 Do nosso arquivo online

«Maisons médicales» das regiões centro e sul vão crescer e mudar de morada

«Maisons médicales» das regiões centro e sul vão crescer e mudar de morada

Photo: Lex Kleren
Luxemburgo 22.01.2021 Do nosso arquivo online

«Maisons médicales» das regiões centro e sul vão crescer e mudar de morada

Diana ALVES
Diana ALVES
Os dois centros de saúde de urgência (« maison médicales », em francês) das regiões centro e sul do país vão mudar de instalações no final do próximo verão. O objetivo é ter espaços maiores e adaptados às necessidades atuais. Quanto ao do norte, o Ministério da Saúde está ainda à procura de novas instalações, e está também a estudar a criação de um projeto semelhante na região leste.

Note-se que o Grão-Ducado tem atualmente três “maisons médicales”, que asseguram serviços de urgência fora dos horários de funcionamento dos consultórios dos médicos de clínica-geral, isto é, à noite, aos fins de semana e feriados.

O projeto foi criado em 2010 com o objetivo de aliviar as urgências dos hospitais, mas, segundo o Ministério da Saúde, as estruturas já não conseguem dar vazão ao número crescente de pacientes. 

O ministério frisa que “a primeira vaga da pandemia pôs a nu os limites do conceito inicial das ‘maisons médicales’”. Impossibilidade de organizar dois fluxos de consultas separados e salas de espera e consultórios demasiado pequenos (que atualmente não permitem respeitar as medidas de distanciamento) são dois deles.

Assim, as futuras instalações das estruturas do centro e do sul serão maiores (1000 e 700 metros quadrados, respetivamente) permitindo respeitar as novas exigências sanitárias, terão melhores acessos de carro e transportes públicos e disporão de serviços suplementares. 

Um dos objetivos é que sejam capazes de atender urgências médicas ditas “normais”, mas também pacientes com problemas específicos, como por exemplo sintomas de infeção pela covid-19.Segundo o Ministério da Saúde, as obras arrancaram este mês e estão avaliadas em 5 milhões de euros. A abertura está prevista para o final do mês de agosto/início de setembro.

O da região centro passará a funcionar no número 23 do Val Fleuri, nas imediações do Centro Hospitalar do Luxemburgo, e o do sul na Avenue du Swing (Southlane Tower), nas proximidades da Universidade do Luxemburgo, da gare Esch-Belval e do fututo Hospital do Sul.

Atualmente, os três centros de saúde de urgência do país estão localizados na rue Michel Welter (na cidade do Luxemburgo), na rue Émile Mayrisch (em Esch-sur-Alzette) e na avenue Lucien Salentiny (em Ettelbruck).  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

"Südspidol" (Hospital do Sul) é o nome do futuro Centro Hospitalar do Sul que vai ser construído no lugar dito "Elsenbrich", junto à rotunda de Raemerich, em Esch/Alzette, e deverá abrir portas em 2002.
O novo hospital terá três edifícios triangulares com a forma de uma palheta de guitarra