Escolha as suas informações

Mais luxemburguês nas escolas
Luxemburgo 2 min. 22.11.2017 Do nosso arquivo online

Mais luxemburguês nas escolas

Mais luxemburguês nas escolas

Luxemburgo 2 min. 22.11.2017 Do nosso arquivo online

Mais luxemburguês nas escolas

O plano de promoção da língua luxemburguesa já tinha sido apresentado pelo Governo, mas só agora aprovado pelo Conselho de Ministros e segue para o Parlamento. Cursos obrigatórios de luxemburguês nas escolas internacionais é uma das medidas previstas.



O Conselho de Ministros aprovou o projeto de lei para a estratégia de promoção da língua luxemburguesa. O plano – que contém 40 medidas – já tinha sido apresentado em março pelo Governo, mas só agora foi aprovado pelo conjunto dos ministros. O próximo passo é agora a entrega do projeto de lei no Parlamento. Entre as soluções estão, por exemplo, a introdução de cursos de luxemburguês obrigatórios nas escolas internacionais no ensino primário e secundário.

Mas aquele não é o único reforço previsto em termos do ensino da língua. O Governo quer elaborar um programa destinado a cursos de luxemburguês como língua estrangeira, tanto no ensino primário como no secundário (incluindo o ensino técnico). Será ainda criado um novo curso opcional de ortografia, bem como um curso de escrita criativa em luxemburguês. O comportamento linguístico dos jovens será estutado, sobretudo com recurso às redes sociais e aos SMS. O objetivo éclarificar as suas competências em termos de novas tecnologias e de plurilinguismo.

De acordo com uma nota do site do Ministério da Educação explica-se que “a língua é um elemento importante” da identidade do país e o desejo de a fazer evoluir está bem presente na sociedade, tanto entre luxemburgueses como entre estrangeiros. A título de explicação, acrescenta-se que “existe uma preocupação comum de que o luxemburguês não seja vítima da globalisação, de interesses económicos ou da evolução demográfica”. “Se, antigamente, o luxemburguês se transmitia naturalmente de uma geração para outra, e evolução rápida da sociedade, obriga hoje a esforços suplementares”, pode ler-se na nota do ministério.

O plano do Executivo de Xavier Bettel tem outras medidas como a nomeação de uma comissária que terá como missão aconselhar os Ministério da Educação e da Cultura no âmbito da promoção da língua. Além disso, prevê-se que o luxemburguês passe a estar na Constituição como língua nacional.De acordo com o plano do Executivo, o multilinguismo do país também passa a estar previsto na Constituição.

Prevê-se ainda o reconhecimento do luxemburguês como língua oficial da União Europeia. Isto significa que os cidadãos luxembuguesesvão poder dirigir-se às instituições europeias em luxemburguês, recebendo uma resposta no mesmo idioma. No entanto, o francês continuará a ser utilizado nos documentos oficiais naiconais e europeus e a língua de trabalho entre o estado luxemburguês e as instituições europeias.

Além disso, se os residentes ou os serviços das administrações públicas tiverem dúvidas, será também criado um dicionário online de luxemburguês que estará disponível na Internet, bem como uma linha de ajuda, disponível, por SMS, telefone ou email. Em termos dos serviçods públicos, algumas das informações que estão hoje disponíveis em francês serão traduzidas para luxemburguês.

P.C.S.


Notícias relacionadas

Marc Barthelemy foi nomeado comissário para a língua luxemburguesa em outubro e tem como missão preparar um plano para promover o idioma nos próximos 20 anos. Mas, para já, mostra-se céptico quanto à possibilidade de que a língua que defende esteja "suficientemente desenvolvida" para ser o idioma de alfabetização. Ao Contacto, falou da importância das outras duas línguas para preservar o papel central do Luxemburgo na Europa e defendeu que o português devia ser mais valorizado no país.
O Governo nomeou hoje Marc Barthelemy para o cargo de comissário para a língua luxemburguesa, a dois dias das eleições legislativas. O ainda presidente do Conselho Permanente da Língua Luxemburguesa, que vai ocupar o cargo criado pelo atual executivo, disse ao Contacto que o idioma "não está em perigo de extinção iminente" e que "nunca houve tanta gente a aprender a língua".
«La Chambre des députés est probablement l'endroit où on écrit le plus le luxembourgeois depuis ces dernières décennies».
A língua luxemburguesa tem sido usada muitas vezes como instrumento de exclusão: para obter a nacionalidade, para aceder à função pública, ou simplesmente para apontar o dedo aos estrangeiros, acusando-os de não estar integrados no país.