Escolha as suas informações

Mais de um quarto das famílias do Luxemburgo tem dificuldade em pagar as contas
Luxemburgo 04.03.2019 Do nosso arquivo online

Mais de um quarto das famílias do Luxemburgo tem dificuldade em pagar as contas

Mais de um quarto das famílias do Luxemburgo tem dificuldade em pagar as contas

Foto: AFP
Luxemburgo 04.03.2019 Do nosso arquivo online

Mais de um quarto das famílias do Luxemburgo tem dificuldade em pagar as contas

Sem surpresas, a habitação é o que mais pesa nas carteiras da esmagadora maioria dos residentes.

Mais de um quarto dos agregados familiares luxemburgueses tem dificuldade em pagar as suas contas, de acordo com um relatório divulgado hoje no site do Instituto Nacional de Estatística (STATEC). 

Os dados dizem respeito ao ano passado e mostram que, concretamente, 26,3% das famílias sentiram dificuldades em liquidar as suas facturas. A percentagem caiu dos pontos percentuais face a 2017.


Risco de pobreza dos imigrantes é quase três vezes superior ao dos luxemburgueses
Tanto no Luxemburgo como no resto da União Europeia (UE), o risco de pobreza afeta sobretudo os imigrantes oriundos de países fora do bloco europeu.

As estatísticas demonstram assim que a situação parece estar a melhorar ligeiramente. Mesmo assim, 4,5% dos agregados qualificam a sua situação como “muito difícil”. “As dificuldades destes agregados fazem como que uma parte fique excluída de determinados bens e serviços que são importantes para permitir uma boa inserção na sociedade”, adianta o STATEC, apontando que apenas menos de metade (48,6%) das famílias com dificuldades em pagar as contas conseguem fazer face a despesas imprevistas. 

Sem grandes surpresas, as despesas com a habitação estão no centro do problema. Segundo a análise do instituto nacional de estatística, há uma relação direta entre o custo do alojamento e a capacidade das famílias para pagarem as contas. Para quatro em cada cinco agregados o problema do custo da habitação é descrito como “preocupante”. 

Diana Alves

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas