Escolha as suas informações

Mais de 100 alunos vulneráveis seguem as aulas à distância
Luxemburgo 28.10.2020 Do nosso arquivo online

Mais de 100 alunos vulneráveis seguem as aulas à distância

Mais de 100 alunos vulneráveis seguem as aulas à distância

Luxemburgo 28.10.2020 Do nosso arquivo online

Mais de 100 alunos vulneráveis seguem as aulas à distância

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Para terem direito ao regime de ensino à distância, os alunos têm de apresentar um certificado médico que ateste a sua situação de vulnerabilidade

No ensino fundamental há 70 alunos e 69 professores vulneráveis, que continuam em casa. Já no ensino secundário há 45 alunos nessa situação e 36 professores.

Estes dados foram revelados esta quarta-feira pelo ministro da Educação, Claude Meisch, em resposta a uma questão parlamentar da deputada socialista Francine Closener.


Infeções e preocupações aumentam nas escolas, mas Governo não adota para já novas medidas
Alunos e professores contaminados ou em quarentena, o vírus a espalhar-se, pais inquietos, sindicatos a exigir medidas nacionais mais concretas e o ministro da Educação a preferir esperar para ver como evolui epidemia.

O ensino à distância destes alunos foi assegurado através da transmissão da aula em live streaming. Regra geral, é o que acontece para os alunos dos liceus. No ensino fundamental, há no entanto um professor à disposição para dar explicações e controlar se os trabalhos da escola foram bem feitos.

Para terem direito ao regime de ensino à distância, os alunos têm de apresentar um certificado médico que ateste a sua situação de vulnerabilidade. É o caso, por exemplo, das crianças e adolescentes que sofrem de determinados problemas de saúde e que, por isso, têm mais riscos de complicações se forem infetados pelo novo coronavírus.


Sindicatos denunciam "caos" nas escolas
Tanto a OGBL como a CGFP acusam o ministro de minimizar a confusão que "reina nas escolas" com vários professores em quarentena e nenhuma substituição.

O ministro acrescenta ainda que desde o fim do confinamento, em maio, as escolas e professores ficaram encarregados de implementar algumas medidas que possam facilitar o ensino à distância. Uma das medidas é garantir que todos os alunos têm acesso a uma plataforma eletrónica que permite interagir com os professores, mas também com os colegas de turma. Outra das medidas foi avaliar o número de alunos que não têm acesso a material informático, para que a escola possa equipar o aluno com o material necessário para garantir o bom desenrolar das aulas à distância.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas