Escolha as suas informações

Maioria dos militares luxemburgueses deixa o Mali no final deste ano
Luxemburgo 2 min. 15.08.2022
Defesa

Maioria dos militares luxemburgueses deixa o Mali no final deste ano

Defesa

Maioria dos militares luxemburgueses deixa o Mali no final deste ano

AFP
Luxemburgo 2 min. 15.08.2022
Defesa

Maioria dos militares luxemburgueses deixa o Mali no final deste ano

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Uma das missões em que o Grão-Ducado participa no país africano chega ao fim no final de dezembro.

A maioria dos militares luxemburgueses presentes no Mali regressa a casa no final deste ano. 

A informação foi confirmada na sexta-feira, em comunicado, pela Direção da Defesa, e indica que a participação dos 21 membros do exército luxemburguês que integram a missão da EUTM Mali - uma missão de treino europeia para as forças armadas malianas, criada a pedido do governo do Mali - termina no último dia deste ano, ao fim de quase uma década no terreno.

"O Luxemburgo participa na missão EUTM Mali desde 2013 e atualmente 21 membros do exército luxemburguês estão ativos na missão de proteção das forças [armadas]. O atual mandato terminará a 31 de dezembro de 2022, o que significa que o exército luxemburguês irá retirar-se", refere o comunicado.

Os objetivos da EUTM, lembra ainda o documento, passam, sobretudo, por reforçar as capacidades das forças armadas do Mali através do treino de unidades militares e prestando-lhes aconselhamento estratégico e tático.

Dois militares luxemburgueses ficam noutra missão até 2024

Além desta missão EUTM, o Luxemburgo está também presente, desde julho de 2013, na MINUSMA, da ONU, que tem como funções ajudar na proteção da população, na estabilização do país e na implementação de acordos de paz e do processo de reconciliação. 

Atualmente, o Grão-Ducado participa nesta missão com dois membros do exército luxemburguês. Uma equipa que está em Bamako e que é responsável pela manutenção das ligações via satélite fornecidas pelo Luxemburgo àquele organismo, ligando os quatro postos de comando regional.


França retira-se do Mali. Tropas do Luxemburgo permanecem no terreno
Os 23 soldados luxemburgueses em missão no Mali não regressam -para já.

Em março deste ano, o Grão-Ducado prorrogou a permanência de militares na MINUSMA até 31 de março de 2024. 

"Através da Representação Permanente do Luxemburgo junto das Nações Unidas, em Nova Iorque, as autoridades luxemburguesas estão a trabalhar com os outros países que contribuem com tropas e com o Secretariado-Geral da ONU para encontrar uma solução com as autoridades malianas para continuar esta importante missão", refere o comunicado.

De acordo com o mesmo documento, o Luxemburgo continua a acompanhar de perto a situação política e de segurança no Mali, em estreita consulta com outros países que integram as missões da EUTM e da MINUSMA.

No próximo dia 21 de setembro, o ministro da Defesa, François Bausch, terá uma reunião em Berlim com a sua homóloga alemã, Christine Lambrecht, na qual irão discutir a segurança no Sahel.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Depois de seis dias no terreno de evacuação entre o Paquistão e o Afeganistão, na sequência da tomada do poder pelos taliban, o avião A400M do exército luxemburguês será utilizado para uma nova missão.