Escolha as suas informações

Luxemburguês e francês suspeitos de liderar rede de prostituição
Luxemburgo 14.11.2019

Luxemburguês e francês suspeitos de liderar rede de prostituição

Luxemburguês e francês suspeitos de liderar rede de prostituição

Shutterstock
Luxemburgo 14.11.2019

Luxemburguês e francês suspeitos de liderar rede de prostituição

Teresa CAMARÃO
Teresa CAMARÃO
Os dois homens não compareceram em tribunal. A procuradora pede 2 anos de cadeia para um e 18 meses para o outro.

Os factos ocorreram entre 2016 e 2017, mas o caso só chegou à barra do tribunal esta quarta-feira. Dois homens, um de nacionalidade luxemburguesa, outro de nacionalidade francesa foram acusados de tráfico humano. 

Em causa uma rede de prostituição que funcionava num apartamento perto de Messancy, na fronteira da Bélgica com o Luxemburgo. A imprensa regional belga conta que os homens recebiam elevadas trocas de dinheiro em troca da venda dos serviços de mulheres brasileiras e espanholas.

Nenhum compareceu à audiência no Tribunal Penal de Arlon, onde a procuradora pediu uma pena de prisão efectiva de dois anos para o francês e uma pena de 18 meses para o indivíduo de nacionalidade luxemburguesa que ainda arrisca uma multa de 2 mil euros por transportar e explorar prostitutas. 

O L'essentiel conta os dois arguidos costumavam ser pagos em dinheiro vivo. Acrescenta que o francês tinha uma vida dupla "sem o conhecimento da mulher" e que receberia 100 euros por cada prostituta explorada no apartamento de Messancy. 



Notícias relacionadas

Pode-se ter a nacionalidade sem viver nem conhecer o Luxemburgo?
A questão foi posta no Parlamento: é possível obter a nacionalidade luxemburguesa sem nunca ter vivido no Luxemburgo nem falar luxemburguês? É, responde o ministro da Justiça, Félix Braz. Em causa está uma cidadã marroquina que obteve a nacionalidade através da mãe, depois de esta ter casado com um luxemburguês. Mas não é caso único.
27.03.2014 luxembourg, kirchberg, flag, flags, Flagge, Flaggen, drapeaux, europäische Fahnen, Fahne, Fahnen, Europa, Wahlen photo Anouk ANTONY/WORT
Direito de voto dos estrangeiros : "CSV e ADR jogam com o medo" - ASTI
A Associação de Apoio aos Trabalhadores Imigrantes (ASTI, no acrónimo em francês) apresentou, no domingo, à comunidade cabo-verdiana os benefícios do direito de voto dos estrangeiros nas legislativas luxemburguesas. Quanto ao resultado das sondagens, que dão a vantagem ao "não", a ASTI diz que os partidos da oposição estão a jogar com o medo.
Sérgio Ferreira e Laura Zucolli, da ASTI, estiveram à conversa com Clara Delgado, da Embaixada de Cabo Verde, dirigentes associativos e e alguns membros da comunidade cabo-verdiana