Escolha as suas informações

Luxemburgo vai exigir teste negativo a quem chega ao país
Luxemburgo 2 min. 22.01.2021 Do nosso arquivo online

Luxemburgo vai exigir teste negativo a quem chega ao país

Luxemburgo vai exigir teste negativo a quem chega ao país

Gerry Huberty
Luxemburgo 2 min. 22.01.2021 Do nosso arquivo online

Luxemburgo vai exigir teste negativo a quem chega ao país

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
A medida não se aplica apenas aos cidadãos de outros países, mas também “aos residentes no Luxemburgo”.

 Em breve todos os viajantes que cheguem ao Luxemburgo terão de apresentar um teste de rastreio negativo para a covid-19. A medida foi anunciada esta tarde por Xavier Bettel e não se aplica apenas aos cidadãos de outros países, mas também “aos residentes no Luxemburgo”.

A medida foi ontem discutida na videoconferência entre os líderes dos estados membros da União Europeia devido ao perigo da propagação das novas variantes do vírus na Europa, a britânica, brasileira e sul-africana que são muito mais contagiosas. “Outras medidas poderão vir também a ser tomadas”, precisou Bettel. A exigência de um teste PCR negativo à covid-19 será também exigida à entrada em França, a partir de domingo. O teste terá de ser realizado até 72 horas antes.

Trabalhadores transfronteiriços não terão que apresentar teste

Xavier Bettel clarificou que no caso dos trabalhadores transfronteiriços a apresentação destes testes não será necessária.  O primeiro-ministro espera também garantias por parte do governo da Renânia Palatinado de que os trabalhadores transfronteiriços residentes neste departamento alemão possam continuar a  viajar todos os dias para o Luxemburgo. Neste momento a Alemanha aumentou as restrições e os controlos transfronteiriços.

Esta restrição a todos quantos chegam ao Grão-Ducado será agora redigida formalmente e na próxima terça-feira os governantes dos 27 países da UE voltarão a reunir-se para afinar as medidas entre os diferentes países.

Xavier Bettel vinca que as viagens não serão interditas, passará é a haver a obrigatoriedade de apresentar o teste negativo.O primeiro-ministro defende que “as fronteiras devem manter-se abertas”, como já o tinha declarado.

Bettel explicou ainda que na reunião com os outros governantes da União Europeia foi discutida a criação de um “passaporte de vacina, um certificado de vacina para os viajantes” nas fronteiras da UE e entre os estados-membros. O primeiro-ministro declarou que esta questão continua em aberto nada foi ainda decidido. “Ainda é cedo para dizer se uma pessoa vacinada poderá ter mais liberdade de que pessoa não vacinada”, disse Bettel.“Tivemos ontem uma reunião de ministros de transporte e a conclusão foi de que deverá haver regras iguais em todos os aeroportos”, contou o governante.

Qual o teste que deverá ser imposto? Qual a validade? 24 horas, 72 horas antes, tudo isto terá de ser determinado na próxima reunião dos governantes que será segunda-feira à noite ou terça-feira, precisou o primeiro-ministro relembrando que tem de existir uma colaboração coordenada entre todos.

No início da próxima semana o primeiro-ministro dará uma nova conferência de imprensa para especificar as medidas que irão ser adotadas.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O primeiro-ministro luxemburguês participou no Fórum Económico Mundial, na Suíça, entre terça-feira e hoje, e participou em cerca de 30 reuniões para debater assuntos políticos e económicos atuais, bem como promover o Luxemburgo.
(de g. à dr.) Pietro Parolin, secrétaire d'État du Vatican, Federica Mogherini, haute représentante de l'Union pour les affaires étrangères et la politique de sécurité, Xavier Bettel, Premier ministre
O Luxemburgo decidiu esta tarde manter o nível de segurança no dois, o segundo mais baixo da escala, considerando que "não há perigo imediato para o Luxemburgo", disse o primeiro-ministro luxemburguês. Xavier Bettel falava após após uma reunião com ministros do Executivo e de ter ouvido o Grupo de Análise da Ameaça Terrorista.
Xavier Bettel sparch unmittelbar nach den Anschlägen von einer feigen Tat.