Escolha as suas informações

Luxemburgo utilizou 54,7% das suas vacinas
Luxemburgo 05.03.2021

Luxemburgo utilizou 54,7% das suas vacinas

Luxemburgo utilizou 54,7% das suas vacinas

AFP
Luxemburgo 05.03.2021

Luxemburgo utilizou 54,7% das suas vacinas

Susy MARTINS
Susy MARTINS
O Luxemburgo só utilizou 54,7% das suas doses de vacinas disponíveis. Um número avançado pelo “Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC na sigla inglesa) e que foi divulgado pelo l’Essentiel.

Este estudo coloca o Grão-Ducado junto dos piores países em termos de utilização das vacinas contra a covid-19, ao lado dos Países Baixos (62,1%) e da Hungria (56%). Já a Bélgica (82,7%), a Alemanha (70,6%) ou ainda a França (68,4%) registam taxas bem mais elevadas. Segundo o ECDC, o Luxemburgo só administrou 39.119 doses das 71.490 que recebeu.


Luxemburgo. CSMI aprova vacina da AstraZeneca para pessoas com mais de 65 anos
O assunto vai estar em cima da mesa no Conselho de ministros desta sexta-feira.

Note-se que, até agora, o Luxemburgo armazenou uma parte das vacinas para que as pessoas que já receberam a primeira dose tenham uma vacinação completa com a segunda dose. 

Ora, a ministra da Saúde, Paulette Lenert, informou na semana passada que o Governo está disposto a correr "um pequeno risco na estratégia de vacinação" ao não guardar todas as doses armazenadas para a segunda vacina.

Na prática, isto significa que o Luxemburgo vai usar 75% das doses de vacina AstraZeneca disponíveis, guardando os restantes 25%. Apesar de admitir que é uma medida arriscada - por não ter doses suficientes disponíveis quando chegar a altura de as pessoas levarem a segunda dose - Paulette Lenert sublinhou que é preciso acelerar o ritmo de vacinação.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Ainda não se sabe se uma terceira dose da vacina anticovid-19 vai ser necessária, mas se for o caso, o Luxemburgo está preparado para esse facto. A garantia é dada pela ministra da Saúde, Paulette Lenert, numa resposta parlamentar ao deputado do ADR, Jeff Engelen.