Escolha as suas informações

Luxemburgo tem mais de 23 mil idosos a viver sozinhos
Luxemburgo 25.06.2020

Luxemburgo tem mais de 23 mil idosos a viver sozinhos

Luxemburgo tem mais de 23 mil idosos a viver sozinhos

Foto: AFP
Luxemburgo 25.06.2020

Luxemburgo tem mais de 23 mil idosos a viver sozinhos

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Portugal é um dos países da UE com menor percentagem de idosos a viver sozinhos. Dados foram revelados pelo gabinete de estatísticas da União Europeia.

O Luxemburgo tem mais de 23 mil idosos a viver sozinhos, revela esta quinta-feira o gabinete de estatísticas da União Europeia. No conjunto dos países europeus, as mulheres são as que vivem mais sozinhas em comparação com o sexo masculino e o Luxemburgo segue a mesma tendência.

De acordo com os dados divulgados pelo Eurostat, quatro em cada dez mulheres com mais de 65 anos - cerca de 40% - vivem sozinhas em comparação com apenas 19% dos homens. O Luxemburgo situa-se ligeiramente abaixo da média europeia, com 38% das mulheres com mais de 65 anos a viverem sozinhas, face a apenas 19% dos homens. Esta percentagem traduz-se em mais de 16 mil mulheres idosas, comparativamente a apenas seis mil homens. 


Idosos. O isolamento pode ser tão fatal como as doenças do coração
Especialistas alertam para o perigo de um reconfinamento dos idosos já tão fragilizados com a pandemia. O Contacto conversou com duas utentes de um lar que contaram o medo e a ansiedades que sentiram nestes meses.

Portugal é um dos países da UE com menor percentagem de idosos a viver sozinhos, sendo mesmo aquele que regista a percentagem mais baixa de homens. 32% das mulheres com mais de 65 anos vivem sozinhas, face a apenas 10% dos homens.

A juntar-se a Portugal, com as menores percentagens nas mulheres, estão a Estónia (com 26%), a Bélgica (28%), Espanha (31%) e a Dinamarca (33%). Por sua vez, nos homens as percentagens mais baixas encontram-se na Eslováquia (10%), Polónia (15%) e Croácia (16%). 


Licença de apoio à família vai ser prolongada
Medida será também alargada aos funcionários públicos, como defendeu o Conselho de Estado.

No lado oposto, com a maior percentagem de mulheres com mais de 65 anos a viver sozinhas está a Letónia com 49%, a Eslovénia e Alemanha, ambas com 45%.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas