Escolha as suas informações

Luxemburgo reitera disponibilidade para acolher pacientes covid-19 dos países vizinhos
Luxemburgo 16.11.2020 Do nosso arquivo online

Luxemburgo reitera disponibilidade para acolher pacientes covid-19 dos países vizinhos

Luxemburgo reitera disponibilidade para acolher pacientes covid-19 dos países vizinhos

Foto: Guy Wolff/Luxemburger Wort
Luxemburgo 16.11.2020 Do nosso arquivo online

Luxemburgo reitera disponibilidade para acolher pacientes covid-19 dos países vizinhos

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Se as capacidades do setor hospitalar do Luxemburgo o permitirem, o Grão-Ducado está disponível para acolher doentes covid-19 dos países vizinhos. A garantia foi dada pela ministra da Saúde, Paulette Lenert, e pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn, numa resposta parlamentar ao deputado do Partido Pirata Marc Goergen.

Apesar de os hospitais do país se estarem a preparar para ativar a fase 4 - em que as consultas e cirurgias programadas são adiadas e haverá um reforço de camas para doentes covid-19 - o Luxemburgo continua a mostrar-se disponível para acolher pacientes dos países vizinhos. 

Atualmente, o número de internamentos no país ascende a 207, sendo que há 46 pacientes em estado grave nos cuidados intensivos. Para além deste aumento lado dos doentes, há muitos profissionais de saúde que estão doentes ou em quarentena, o que coloca pressão sobre o funcionamento do sistema hospitalar. Embora o país disponha de material suficiente para tratar os doentes, a dificuldade está em encontrar profissionais da saúde para substituir os que não podem trabalhar.

Embora o Luxemburgo não esteja a viver dias fáceis a situação é ainda mais dramática nos países vizinhos, como é o caso da Bélgica, onde alguns hospitais estão próximos da linha vermelha. Na resposta parlamentar os dois ministros reiteram que o Luxemburgo está em contacto direto com o Governo belga, havendo uma troca de informação constante sobre a situação em cada país.   


Paulette Lenert. População deve preparar-se para um Natal diferente
A situação mantém-se crítica e os números, elevados, embora se possa prever um ligeiro abrandamento de novas infeções.

Quanto ao Luxemburgo, no início de novembro a ministra da Saúde admitiu que o país estava perto de ativar a fase 4 do plano hospitalar. O encerramento de serviços hospitalares não urgentes vai permitir direcionar os esforços ao nível do pessoal médico para os casos de covid-19. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O estado de emergência de três meses foi decretado há nove dias, mas o número de infetados do país não para de crescer. O Luxemburgo chegou a ser apontado como o terceiro país do mundo com mais casos positivos de coronavírus, por cada milhão de habitantes. O primeiro-ministro, Xavier Bettel, explica a razão: “estamos a fazer mais testes que nos outros países, por isso, temos mais casos registados”.
Além da sala de espetáculos de Esch-sur-Alzette, a LuxExpo também vai reforçar a capacidade de resposta dos quatro hospitais luxemburgueses destacados para o combate ao novo coronavírus. As termas de Mondorf vão ser readaptadas tal como o Däichhal em Ettelbruck.
Imagem do exercício antiterrorista que se realizou hoje na Rockhal (Belval) em 2019