Escolha as suas informações

Luxemburgo regista mais de 130 falências num mês
Luxemburgo 06.11.2020

Luxemburgo regista mais de 130 falências num mês

Imagem de arquivo

Luxemburgo regista mais de 130 falências num mês

Imagem de arquivo
Foto: DR
Luxemburgo 06.11.2020

Luxemburgo regista mais de 130 falências num mês

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Houve 132 empresas que não resistiram à crise em outubro, tendo sido forçadas a fechar portas definitivamente. Já o número de falências decretadas pelos tribunais de comércio do Luxemburgo ascendeu a 125 em setembro. O Grão-Ducado registou assim 257 insolvências em apenas dois meses.

Dados do Ministério da Justiça revelam a existência de 988 falências nos dez primeiros meses deste ano. Um número que, no entanto, se situa na média dos últimos anos. Em 2019 houve um total de 1.017 falências, e 936 em 2018. 

O comércio (196) e a construção (98) são os setores mais afetados por falências desde o início deste ano. Comparando o número total das empresas por ramo de atividade, as falências ocorrem em 2,5% dos casos na HORESCA, registando a mesma percentagem (2,5%) na construção e 2,3% no comércio. Os outros ramos económicos são menos impactados. 

Nos primeiros seis meses de 2020, as falências provocaram a perda de cerca 900 postos de trabalho. Este número é, contudo, inferior ao registado nos últimos anos. 

A título de exemplo, no primeiro semestre de 2019 houve 1.009 trabalhadores abrangidos por falências, e em 2018 foram 1.043. Os serviços não financeiros (26%) e o setor da construção (24%) foram os ramos económicos onde houve mais perda de postos de trabalho.

A maioria das falências ocorreu este ano em empresas com mais de cinco anos de existência.Note-se que o Ministério da Justiça, em colaboração com o STATEC e o serviço de estatísticas da Justiça, iniciou este projeto de publicação regular sobre os processos de insolvência. 

A ministra da Justiça, Sam Tanson, diz que estas estatísticas vão permitir um melhor acompanhamento da evolução do número de falências decretadas no Grão-Ducado, tornando-se ainda mais importante neste contexto de crise sanitária, que tem repercussões imediatas na atividade económica.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Em 2015: Falências aumentaram no Luxemburgo
O número tinha sido avançado em Janeiro pela instituição alemã Creditreform mas, só agora, foi oficialmente confirmado pela Secretária de Estado da Economia, Francine Closener. No ano passado, 873 empresas declararam falência no Luxemburgo, um aumento de 3,3% face a 2014.