Escolha as suas informações

Luxemburgo regista 77 novas infeções e 21 internamentos
Luxemburgo 2 min. 08.10.2021
Covid-19

Luxemburgo regista 77 novas infeções e 21 internamentos

Covid-19

Luxemburgo regista 77 novas infeções e 21 internamentos

AFP
Luxemburgo 2 min. 08.10.2021
Covid-19

Luxemburgo regista 77 novas infeções e 21 internamentos

Redação
Redação
Nas últimas 24 horas o número de novos casos baixou para menos de metade do dia anterior. As hospitalizações estão estáveis.

Dos 3715 testes PCR realizados na quinta-feira 77 acusaram positivo para a doença da pandemia, segundo o relatório diário do Ministério da Saúde.

Menos de metade dos registados na quarta-feira, 160 novas infeções o que é uma boa notícia no dia em que o primeiro-ministro apresentou as novas medidas mais duras para lutar contra a pandemia.

Ao nível dos hospitais houve uma ligeira subida. Encontram-se internados por doença covid 21 doentes, mais duas pessoas do que no dia anterior. Nos cuidados intensivos, encontra-se menos um doente covid do que ontem, agora são cinco camas ocupadas pela pandemia.

Não houve nenhuma morte a registar mantendo-se o total de óbitos em 836 desde o início da pandemia no país, em março de 2020.

Até ao momento quase 80 mil pessoas foram infetadas no Grão-Ducado, mais precisamente 79.018, um valor que desde 20 de agosto de 2020 não inclui os não residentes. Ao mesmo tempo, 76 920 pessoas recuperaram da infeção.

A taxa de positividade, agora nos 2,07 baixou em relação ao dia anterior (5,81).

Na conferência de imprensa de hoje, o primeiro-ministro Xavier Bettel e a ministra da Saúde lembraram que o inverno está a chegar pelo que é necessário evitar um crescimento dos novos casos e mortes suplementares. Como a taxa de vacinação está estagnada nos 73% o governo decidiu endurecer as medidas na luta contra a pandemia. Para que mais pessoas se vacinem. 


Trabalhadores que recusem o CovidCheck podem ser penalizados
No Luxemburgo, as empresas do setor público e privado podem adotar o regime CovidCheck que entra em vigor a 1 de novembro, tornando obrigatório para os funcionários a apresentação do certificado, anunciou esta tarde Xavier Bettel.

Novas medidas

O covid-check vai ser alargado às empresas, restauração e outros setores da Horeca e os testes rápidos não certificados e os auto-testes deixam de ser válidos a partir do dia 1 de novembro. O primeiro-ministro lembrou que a pandemia ainda não terminou e que o país não pode correr riscos de sofrer um aumento de infeções ou mesmo arriscar “um novo confinamento”, por isso as medidas são agora mais duras. “A vida vai ser mais difícil para os não vacinados”, advertiu Xavier Bettel apelando fortemente à vacinação contra a covid.

A vacina é “a única forma” de chegar à imunidade coletiva e acabar com a pandemia, lembrou. De acordo com os números oficiais 1 em cada quatro pessoas no país não está ainda vacinada ou com esquema completo de vacinação.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

“Não vamos anunciar o encerramento de escolas ou de restaurantes”, disse o Primeiro-Ministro Xavier Bettel. O teletrabalho é recomendado pelo Governo, tanto para vacinados como para não vacinados. Os testes PCR têm agora a validade de 48 horas e os de antigénio de 24 horas.