Escolha as suas informações

Luxemburgo proíbe aumento de rendas até 31 de dezembro de 2020
Luxemburgo 2 min. 20.05.2020

Luxemburgo proíbe aumento de rendas até 31 de dezembro de 2020

Luxemburgo proíbe aumento de rendas até 31 de dezembro de 2020

Foto: Lex Kleren
Luxemburgo 2 min. 20.05.2020

Luxemburgo proíbe aumento de rendas até 31 de dezembro de 2020

Manuela PEREIRA
Manuela PEREIRA
Bettel anuncia um pacote de apoios que pode chegar aos 800 milhões de euros.

O Governo, reunido em Conselho de Ministros, aprovou esta quarta-feira, um plano de relançamento da economia. “Um plano que vai custar ao Estado entre 700 e 800 milhões de euros, para além dos cerca de dez mil milhões de euros já aprovados para apoiar a economia neste período de crise pandémica”, anunciou o primeiro-ministro, Xavier Bettel, em conferência de imprensa. "O plano de relançamento económico é um reinício para o Luxemburgo e visa evitar desemprego”, disse o líder do executivo, divulgando algumas das medidas deste plano.

As empresas, afetadas pela crise e que têm até 250 trabalhadores, vão receber uma ajuda direta de 1.000 euros no mês de junho, de 750 euros em julho, e 500 euros no mês de agosto. Setores como o da Horesca (hotéis, restaurantes e cafés), bem como o do turismo ou ainda os ginásios terão direito a um apoio suplementar de 1.250 euros.

Residentes e transfronteiriços vão receber um ‘voucher’ para pernoitar num dos hotéis do Luxemburgo, uma forma de apoiar o turismo. O desemprego parcial vai ser simplificado.

Os montantes do subsídio de “vida cara” vão duplicar. Este apoio é destinado a pessoas com vencimentos baixos.

Por outro lado, o Governo decidiu congelar as rendas dos particulares. Quer isto dizer que os senhorios não podem aumentar o montante das rendas aos particulares, até ao dia 31 de dezembro de 2020. 

Para as rendas comerciais (a lojistas), os senhorios poderão usufruir de incentivos fiscais se baixarem as rendas.

Por seu lado, a ministra da Saúde, Paulette Lenert, anunciou o encerramento dos centros de cuidados avançados de Ettelbruck e de Grevenmacher, no dia 29 de maio. O centro de Esch/Belval fechará as suas portas no dia 15 de junho. O de Kirchberg vai manter-se aberto. Estes centros foram criados para atender pacientes com sintomas suspeitos da covid-19.


Estado de emergência termina a 24 de junho no Luxemburgo
O estado de emergência vai terminar e com ele caducam os regulamentos grão-ducais aprovados durante esse período.

Ambos os governantes apelaram à disciplina e à responsabilidade da população. O vírus ainda não desapareceu, “é por isso importante manter o distanciamento social de dois metros, tanto em espaços confinados (interior) como no exterior e usar a máscara”, disse Xavier Bettel. “Só através de um comportamento responsável poderemos evitar uma segunda vaga de infeções”, insistiu Paulette Lenert. 

Na próxima segunda-feira haverá novo Conselho de Ministros. Espera-se que nesse dia seja anunciado a data de reabertura do setor da Horesca.

Mais detalhes sobre o plano de relançamento do Governo serão dados no final desta tarde, numa conferência de imprensa dos vice-primeiro-ministros Dan Kersch, com a pasta do Trabalho e Economia Social e Solidária e François Bausch, que tutela os ministérios da Mobilidade e das Obras Públicas. Aos dois número 2 do Governo, vai juntar-se o ministro da Finanças, Pierre Gramegna.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.