Escolha as suas informações

Luxemburgo não vai enviar militares para o Médio Oriente
Luxemburgo 30.01.2020

Luxemburgo não vai enviar militares para o Médio Oriente

Luxemburgo não vai enviar militares para o Médio Oriente

Foto: Anouk Antony
Luxemburgo 30.01.2020

Luxemburgo não vai enviar militares para o Médio Oriente

Donald Trump pediu à NATO para se implicar ainda mais no Médio Oriente. O Luxemburgo, que faz parte da Força de Reação Terrestre Rápida da NATO para 2020, não vai enviar militares.

(HB) - O Luxemburgo não vai enviar militares para o Médio Oriente. A garantia foi dada hoje pelo ministro da Defesa, François Bausch, em resposta a uma questão parlamentar apresentada pelo deputado do partido cristão-social (CSV) Jean-Marie Halsdorf.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou recentemente que pediu à NATO para se implicar ainda mais no Médio Oriente.

Em resposta, o secretário-geral da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg, admitiu esta possibilidade, como forma de contribuir para a estabilidade daquela região e para a luta contra o terrorismo. Mas a resposta formal deverá ser dada em fevereiro, em Bruxelas, durante a reunião dos ministros da Defesa da NATO, agendada para 12 e 13 do próximo mês.


Tropas do Luxemburgo já fazem parte da força de reação rápida da NATO
O Luxemburgo faz parte do Eurocorpo, que passa agora a ser a primeira força de intervenção da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN/NATO), em qualquer lugar do mundo.

Atualmente, a NATO está presente no Médio Oriente em missão de formação às tropas iraquianas e em apoio à coligação internacional contra o Estado Islâmico, mas sem a presença luxemburguesa.

"Neste contexto, o governo não prevê o envio de militares luxemburgueses", assegura François Bausch.

Recorde-se que o Luxemburgo faz parte, desde o início do ano, da Força de Reação Terrestre Rápida da NATO para 2020, contingente que tem como missão reagir, no espaço de cinco a 30 dias, a qualquer evento que possa ocorrer no mundo.


Notícias relacionadas