Escolha as suas informações

Luxemburgo. Mais de 600 alunos infetados, 33% dos quais na última semana
Luxemburgo 3 min. 26.10.2020

Luxemburgo. Mais de 600 alunos infetados, 33% dos quais na última semana

Luxemburgo. Mais de 600 alunos infetados, 33% dos quais na última semana

AFP
Luxemburgo 3 min. 26.10.2020

Luxemburgo. Mais de 600 alunos infetados, 33% dos quais na última semana

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Entre os docentes ocorreu um aumento de 66% de novos casos de infeção, entre os dias 17 e 23 outubro. O ministro garante que a situação nas escolas é estável e os casos limitados.

Apesar do grande aumento das infeções entre a população do país, “não foram detetadas novas cadeias de infeção” nas escolas fundamentais e secundárias do Grão-Ducado, avança o comunicado do Ministério da Educação sobre o balanço da covid-19 nas escolas na última semana, entre os dias 17 e 23 de outubro, divulgado esta segunda-feira. Esta tarde a comissão de educação reúne-se no parlamento com o ministro Claude Meisch para debater o estado atual da covid-19 nas escolas.


conférence de presse Summerschool 2020 - Claude Meisch ministre - Jeannot FÜRPASS Bourgmestre - Mondecange -  - 01/09/2020 - photo: claude piscitelli
Covid-19. Ministro e deputados reúnem-se hoje para analisar medidas nas escolas
Ao que tudo indica, é uma reunião convocada à última hora. O ministro da Educação, Claude Meisch, e os deputados da comissão parlamentar da educação nacional reúnem-se esta tarde para analisar "medidas relacionadas com a pandemia da covid-19".

“O número de cadeias de infeção nas escolas continua estável e limitado, prova da eficácia das medidas do dispositivo sanitário em vigor”, lê-se no documento, que salienta a vigilância máxima da situação da epidemia em ambiente escolar. Caso seja necessário novas medidas podem ser implementadas.

Entre os dias 17 e 23 de outubro registaram-se mais 290 casos positivos entre alunos e professores do público e privado no cenário 1 (em que existe apenas um caso de infeção por classe e o contágio foi feito fora da escola) e 81 novas infeções no cenário 2, (em que existe um máximo de dois casos positivos por turma, originados por uma fonte de infeção incerta ou aparentemente exterior à classe). No houve novos casos no cenário 3, o pior cenário (mais do que duas novas infeções por turma com contágio e cadeias de infeção dentro da escola).

O aumento de casos no cenário 2 é justificado pelo aumento de infeções na sociedade em geral. Embora no interior da escola a propagação do vírus continue limitada, afiança o Ministério da Educação “um número crescente de adultos”, funcionários e professores na escola, “está a ser infetado, devido a contactos no seu meio privado e não escolar, não podendo assegurar as aulas presenciais” nos estabelecimentos de ensino”.


Bélgica. Alunos do secundário voltam às aulas em casa a partir de quarta-feira
Nos próximos dias 28, 29 e 30 de outubro os estudantes do secundário das regiões da Valónia e de Bruxelas irão retomar o ensino à distância.

 Alunos infetados

No total, registam-se 637 infeções entre alunos do fundamental e secundário, público e privado, desde o início do ano escolar, dia 15 de setembro. Só na semana de 17 a 23 de outubro registaram-se 33% destas infeções.

A grande maioria dos casos ocorre no ensino público (540 casos) e com maior incidência no secundário.

O ensino fundamental público regista até agora 203 casos, dos quais 77 detetados na última semana. No secundário ocorreram 337 infeções entre os estudantes, 135 das quais na semana passada.

No ensino privado, o número é menor com 48 casos registados no fundamental e 39 no secundário, num total de 85 casos.  Contudo, até à semana em análise, o primário tinha apenas dois casos de alunos positivos e nesta semana registaram-se 46 novos casos. Já no secundário não se detetaram novos casos, mantendo-se os 39 da semana precedente.


Féduse reivindica uso de máscara obrigatório nas salas de aula dos liceus
A secção de ensino da Confederação-Geral da Função Pública (CGFP), a Féduse, quer que o uso de máscara passe a ser obrigatório na sala de aula das escolas secundárias.

O Ministério da Educação chama a atenção que as infeções no pior cenário, o cenário 3 continuam raras. Este cenário 3 significa que focos de infeção nas escolas contaminem vários alunos e professores. Até agora só houve dois registos neste cenário nas escolas do país afetando 4 alunos e quatro professores.

No cenário 1 registaram-se desde o início do ano escolar 459 infeções (401 no ensino público e 59 no privado). Deste total, 172 foram registados entre 17 e 23 de outubro entre alunos do público e privado.

Já no cenário 2 ocorreram esta semana mais 57 casos entre alunos. Estes juntam-se ao total de 173 casos desde o início da pandemia.

Professores infetados

Também entre os professores se registou um aumento de casos. Do total de 171 casos de infeção entre docentes do público e privado registados desde o dia 15 de setembro, 114 docentes testaram positivos na semana passada, ou seja, 66% do total de casos. Falamos de 99 no ensino público e 15 no privado. Na repartição por cenários, 79 casos de infeção de doenças ocorreram no cenário 1, e 24 no cenário 2.

O Ministério da Educação relembra neste comunicado a importância de respeitar as medidas barreira entre os alunos para limitar a propagação do vírus e continuar a ser possível assegurar o ensino nas escolas do país, benéfico para todos os alunos.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas