Escolha as suas informações

Luxemburgo. Mais centros médicos e apelo à inscrição de médicos
Luxemburgo 4 min. 22.03.2020 Do nosso arquivo online

Luxemburgo. Mais centros médicos e apelo à inscrição de médicos

Luxemburgo. Mais centros médicos e apelo à inscrição de médicos

AFP
Luxemburgo 4 min. 22.03.2020 Do nosso arquivo online

Luxemburgo. Mais centros médicos e apelo à inscrição de médicos

Redação
Redação
A ministra da Saúde, Paulette Lenert, anunciou a criação de mais centros de saúde para atender doentes e como vai resolver a falta de profissionais de saúde e de material de proteção.

Por todo o país há espaços que estão a ser transformados em centros de atendimento médico, para reforçar as capacidades de tratamento dos doentes infetados, pelo novo coronavírus, que estão já a aumentar e vão aumentar ainda mais nas próximas duas semanas. 

O anúncio foi feito pela ministra da Saúde, Paulette Lenert, durante a conferência de imprensa desta tarde onde explicou como o governo se prepara para fazer face ao pico da epidemia, prevista para daqui a cerca de 14 dias.

Assim, além dos quatro hospitais que estão já a receber e tratar os doentes infetados e do hospital temporário que está a ser instalado, ao lado do Centro Hospitalar do Luxemburgo (CHL), em Strassen, há novos locais que vão passar a funcionar como centros de saúde.


Luxemburgo. Doentes infetados já são quase 800
Nas últimas 24 horas registaram-se mais 128 casos de infeção pelo novo coranavírus, informou a ministra da Saúde.

Em Colpach, um edifício da Cruz Vermelha está a ser reestruturado para poder acolher pacientes estáveis, com Covid-19.

As termas em Mondorf-les-Bains também estão a ser preparadas para receber pacientes.

A LuxExpo, a sala de concertos Rockhall, em Esch-sur-Alzette, e a sala de concertos hal do Däich, em Ettelbruck foram também adaptadas para centros de saúde provisórios, enquanto durar esta crise sanitária. A LuxExpo começará a funcionar amanhã, dia 23.

Número de casos vai aumentar

"Estamos à espera de um número crescente de infecções", diz a governante. Ao nível dos privados, serão reforçadas as consultas por videochamada e por telefone.  E os centros de cuidados intensivos, irão ser divididos entre doentes infetados com coronavírus e doentes não infetados.

E se a nível de estruturas, a ministra está confiante de que irão ser suficientes para atender os pacientes, a grande preocupação do governo vai para a falta de profissionais de saúde e de material de proteção e equipamento. "Estes são os dois grandes riscos", vincou Paulette Lenert.


Covid-19. "A nossa situação é mais séria. Há o risco do país ficar sem profissionais de saúde" durante a epidemia
O agravamento dos casos em França pode mesmo levar à "requisição dos médicos e enfermeiros transfronteiriços", alerta Marie-Lise Lair. Alemanha e Bélgica também o podem fazer. O país está "muito vulnerável", frisa, explicando o que o governo pode e está a fazer.

"O Luxemburgo precisa mais de pessoal médico do que de infraestruturas", reafirma Lenert. "O pessoal médico pode ficar retido do outro lado da fronteira e isso preocupa-nos", assumiu a ministra referindo-se aos trabalhadores transfronteiriços.

Apelo à inscrição de médicos e enfermeiros

Por isso foi criada uma plataforma especial governamental, a funcionar a partir de amanhã, onde irá ser anunciado todos os perfis que as autoridades de saúde necessitam ao nível de  pessoal médico, enfermeiros e outros profissionais de saúde. Quem corresponda a estes perfis pode inscrever-se nesta plataforma 

 Atualmente, 173 trabalhadores fronteiriços já aceitaram a oferta do governo de se hospedar em hotéis locais durante a crise. 

Material de proteção não pode faltar

Quanto ao material de proteção e equipamento ele "será sempre necessário enquanto durar esta crise".

Além do carregamento de 10 milhões de máscaras, médicas e de proteção, de ventiladores e outro material que irá chegar amanhã, da China, também empresas particulares estão a oferecer estes materiais. 

Também mais testes médicos para diagnosticar a doença estão já a ser garantidos. 


Covid-19. China oferece 10 milhões de máscaras e ventiladores ao Luxemburgo
Na próxima segunda-feira começa a chegar ao Grão-Ducado o material de proteção para profissionais de saúde enviado pelos chineses. Coreia do Sul oferece medicamentos.

No entanto, quando não há sintomas, os testes não são recomendados. "A nossa ambição é generalizar os testes, não posso garantir que temos testes suficientes para um mês, mas queremos generalizar os testes", vinca Paulette Lenert.

Atualmente, estão a ser realizados 1.500 testes por dia no Grão-Ducado.

798 doentes no país 

A atualização epidemiológica da doença no país realizada, esta manhã, revela um aumento de 128 casos de infeção nas últimas 24 horas, subindo para 798 o número de doentes com covid-19. De momento encontram-se 37 pessoas hospitalizadas, três das quais nos cuidados intensivos. Uma boa notícia é que não houve mais vítimas mortais desde sábado, mantendo-se as quatro mortes

A governante agradeceu aos médicos, polícias, às associações de solidariedade e todos os que ajudam neste momento, incluindo, "as empresas privadas que nos facultaram material em stock". 

"Fiquem em casa"

A governante voltou a apelar à população para ficar em casa, e se tiver de sair para manter a distância social. 

"Quero lançar um apelo a todos os que estão em contacto com o público, como os motoristas de autocarro, há que respeitar as medidas de higiene. E se se sentem a ficar doentes, por favor, fiquem em casa", pediu Lenert.

Ajuda aos países vizinhos

A situação dos nossos países vizinhos, "em particular a França é dramática", frisa Lenert. Por agora, o Luxemburgo está em "posição de ajudar e acolher alguns doentes" franceses, sobretudo da região Grand Est, a mais afetada pela epidemia em França. De momento, os hospitais têm capacidade para tal, e por isso, pode-se ajudar o país vizinho que está a braços com a sobrelotação hospitalar, falta de camas, sobretudo para doentes que necessitam de cuidados intensivos e de assistência respiratória.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Além da sala de espetáculos de Esch-sur-Alzette, a LuxExpo também vai reforçar a capacidade de resposta dos quatro hospitais luxemburgueses destacados para o combate ao novo coronavírus. As termas de Mondorf vão ser readaptadas tal como o Däichhal em Ettelbruck.
Imagem do exercício antiterrorista que se realizou hoje na Rockhal (Belval) em 2019