Escolha as suas informações

Luxemburgo "jamais" reconhecerá zonas anexadas como parte da Rússia
Luxemburgo 30.09.2022
Guerra na Ucrânia

Luxemburgo "jamais" reconhecerá zonas anexadas como parte da Rússia

Guerra na Ucrânia

Luxemburgo "jamais" reconhecerá zonas anexadas como parte da Rússia

Foto: Anouk Antony
Luxemburgo 30.09.2022
Guerra na Ucrânia

Luxemburgo "jamais" reconhecerá zonas anexadas como parte da Rússia

Redação
Redação
O presidente russo, Vladimir Putin, assinou hoje os tratados de anexação das regiões ucranianas de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporijia, apesar da condenação internacional e da Ucrânia.

O Luxemburgo junta-se à generalidade dos países que não reconhecem a anexação das regiões separatistas ucranianas por parte da Rússia, formalizada esta sexta-feira, em Moscovo, pelo presidente russo, Vladimir Putin. 

"O Luxemburgo jamais aceitará a decisão da Rússia de anexar os territórios ucranianos de Donetsk, Luhansk, Kherson e Zaporijia", garantiu, numa publicação no Twitter, o ministro dos Negócios Estrageiros e Assuntos Europeus.

Jean Asselborn lembrou as palavras do secretário-geral da ONU na explicação para a decisão do Grão-Ducado. "Como disse @antonioguterres, isto é uma violação flagrante dos princípios da Carta das Nações Unidas e do direito internacional".

Vladimir Putin assinou, esta sexta-feira, em Moscovo, os tratados de anexação das regiões ucranianas de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporijia, apesar da Ucrânia e da condenação internacional.


Os chefes nomeados por Moscovo da região de Kherson, Vladimir Saldo; Zaporizhzhia, Yevgeny Balitsky; o Presidente russo Vladimir Putin; o líder separatista de Donetsk, Denis Pushilin, e o líder separatista de Lugansk, Leonid Pasechnik
Anexação de regiões ucranianas. "Passam a ser nossos cidadãos para sempre"
Putin está a reivindicar cerca de 15% da área terrestre da Ucrânia, que representa a maior anexação forçada na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Os líderes separatistas dos quatro territórios ucranianos, Denis Pushilin (Donetsk), Leonid Pasechnik (Lugansk), Vladimir Saldo (Kherson) e Yevgeny Balitsky (Zaporijia), participaram na cerimónia de assinatura, que teve lugar no Salão de S. Jorge do Grande Palácio do Kremlin (sede da presidência russa), segundo noticia a agência Lusa. 

As quatro regiões representam cerca de 15 por cento do território da Ucrânia.

Vladimir Putin sustentou que os habitantes das regiões ucranianas de Donetsk, Lugansk, Zaporijia e Kherson efetuaram uma opção “inequívoca” para se unirem à Rússia e assegurou que serão protegidos por "todos os meios necessários”.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas