Escolha as suas informações

Luxemburgo. Governo exclui hipótese de tornar vacinação obrigatória
Luxemburgo 29.11.2021
Covid-19

Luxemburgo. Governo exclui hipótese de tornar vacinação obrigatória

Covid-19

Luxemburgo. Governo exclui hipótese de tornar vacinação obrigatória

Foto: DPA
Luxemburgo 29.11.2021
Covid-19

Luxemburgo. Governo exclui hipótese de tornar vacinação obrigatória

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Paulette Lenert anunciou também a instalação de equipas móveis, ao longo de todo o inverno, em vários pontos centrais do país, como a Gare, na cidade do Luxemburgo, e nos centros comerciais de Belle Etoile ou Cloche d'Or.

O Governo do Grão-Ducado não deseja tornar a vacina obrigatória, no Luxemburgo, mas essa hipótese pode colocar-se no futuro, advertiu, esta segunda-feira, o primeiro-ministro, Xavier Bettel.


CovidCheck vai ser obrigatório no local de trabalho
“Não vamos anunciar o encerramento de escolas ou de restaurantes”, disse o Primeiro-Ministro Xavier Bettel. O teletrabalho é recomendado pelo Governo, tanto para vacinados como para não vacinados. Os testes PCR têm agora a validade de 48 horas e os de antigénio de 24 horas.

"É uma questão de ética. Não queremos ser forçados a impor esta vacinação", disse esta tarde, na conferência de imprensa conjunta com a ministra da Saúde, Paulette Lenert, onde foram anunciadas novas medidas para combater a covid-19.

Apesar disso, Xavier Bettel admitiu que a decisão de tornar a vacina obrigatória "não pode ser excluída" no futuro, num cenário de agravamento da pandemia.

Segundo o primeiro-ministro, a atual taxa de vacinação contra a covid, no Luxemburgo, ainda "é demasiado baixa" e embora o governante garanta que a situação nos hospitais está "sob controlo", a subida de casos e internamentos pode voltar a pressionar os serviços de saúde.

Vacinas para as crianças chegam ao Grão-Ducado a 20 de dezembro

Quanto à vacinação das crianças, Xavier Bettel afirmou que espera que as vacinas da Pfizer para os mais novos cheguem a 20 de dezembro. Uma vez que as vacinas para a faixa etária dos 5 aos 11 anos só podem utilizar determinados materiais, o governo está dependente dos prazos de entrega da farmacêutica. 

Na conferência de imprensa foram também anunciadas reduções ao intervalo entre a última injeção da AstraZeneca e a dose de reforço. Em vez dos seis meses, a dose de reforço para quem tomou esta vacina passa a ser tomada quatro meses após a última injeção, à semelhança do que acontece com as outras vacinas contra a covid.    


Crianças poderão começar a ser vacinadas durante as férias de Natal no Luxemburgo
As primeiras doses do fármaco para a Europa estão previstas chegar a 20 de dezembro, sendo que o Luxemburgo deverá receber 18 mil doses numa primeira entrega.

Para tornar mais fácil e acessível a vacinação, Paulette Lenert anunciou também a instalação de equipas móveis, ao longo de todo o inverno, em vários pontos centrais do país, como a Gare, na cidade do Luxemburgo, e nos centros comerciais de Belle Etoile ou Cloche d'Or.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

“Não vamos anunciar o encerramento de escolas ou de restaurantes”, disse o Primeiro-Ministro Xavier Bettel. O teletrabalho é recomendado pelo Governo, tanto para vacinados como para não vacinados. Os testes PCR têm agora a validade de 48 horas e os de antigénio de 24 horas.