Escolha as suas informações

Luxemburgo está cada vez mais longe de ser a "capital da UE"
Luxemburgo 19.05.2020 Do nosso arquivo online

Luxemburgo está cada vez mais longe de ser a "capital da UE"

Luxemburgo está cada vez mais longe de ser a "capital da UE"

Arne Immanuel Bänsch/dpa
Luxemburgo 19.05.2020 Do nosso arquivo online

Luxemburgo está cada vez mais longe de ser a "capital da UE"

O Grão-Ducado é cada vez menos apreciado pelos trabalhadores da Comissão Europeia. O chefe da União dos Funcionários Europeus do país diz que "Já ninguém quer vir ao Luxemburgo"

Há catorze anos no Grão-Ducado, a Agência de Execução para os Consumidores, Saúde, Agricultura e Alimentação muda-se para a Bélgica. Charles Goerens quis saber se a decisão de relocalizar a Cafhea é "caso isolado ou é o início da erosão do Luxemburgo como sítio da UE?". Em resposta ao deputado europeu, um porta-voz da Comissão Europeia limitou-se a dizer que a "decisão foi fácil". 

A decisão também não agrada ao governo. De resto, contraria o acordo fechado com Bruxelas em 2015 que previa tanto a transferência de mais funcionários para o Grão-Ducado como a criação de novos centros estratégicos. A ideia central era tornar o Luxemburgo capital da UE em três domínios principais: justiça, finanças e assuntos digitais.


Luxemburgo. Trabalhadores contra transferência de agência europeia para Bruxelas
Em causa está a constituição de uma nova organização, a Agência Europeia de Inovação.

Certo é que, de acordo com o Wort, o Luxemburgo parece um destino cada vez menos atrativo para os trabalhadores da Comissão Europeia. As rendas altas e o elevado custo de vida afastam os mais jovens. Em geral, as dificuldades de deslocação na capital e no país são apontadas como uma das maiores dificuldades. Para Miguel Vicente Nuñez, chefe da União dos Funcionários Europeus do Luxemburgo (USL): "Já ninguém quer vir ao Luxemburgo".

Oficialmente, "a Comissão Europeia mantém a sua presença no Luxemburgo". Cerca de 3 700 pessoas trabalham apenas para a Comissão e a presença da UE na cidade inclui  departamentos do Parlamento Europeu, o Banco Europeu de Investimento, o Tribunal de Justiça Europeu, o Tribunal de Contas Europeu, o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MES) e o novo Ministério Público dos 27. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

"LuxLeaks": Juncker no epicentro do escândalo
O escândalo do "LuxLeaks" acontece na semana em Jean-Claude Junker deu início ao seu mandato de cinco anos à frente da Comissão Europeia. Juncker foi o primeiro-ministro do Luxemburgo nos últimos 18 anos, altura em que terá sido negociada a maior parte dos acordos fiscais agora revelados pelo ICIJ.