Escolha as suas informações

Luxemburgo disposto a acolher jovens refugiados de Lesbos
Luxemburgo 11.09.2020

Luxemburgo disposto a acolher jovens refugiados de Lesbos

Luxemburgo disposto a acolher jovens refugiados de Lesbos

Foto: Socrates Baltagiannis/dpa
Luxemburgo 11.09.2020

Luxemburgo disposto a acolher jovens refugiados de Lesbos

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Vários países europeus vão receber cerca de 400 migrantes menores desacompanhados do campo de refugiados de Moria, na Grécia, devastado por um incêndio.

Após o incêndio no campo de refugiados de Moria em Lesbos, o Luxemburgo está disposto a acolher alguns jovens refugiados. Quem o afirmou foi o ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn, aos microfones da RTL, acrescentando que os pormenores dessa transferência ainda têm de ser decididos.

Asselborn frisou ainda que o Luxemburgo defende sanções os Estados-membros da União Europeia (UE) que se recusam a assumir as suas responsabilidades, ou seja, acolher os refugiados.

A chanceler alemã e o Presidente francês lançaram esta quinta-feira uma iniciativa para permitir a receção por vários países europeus de cerca de 400 migrantes menores desacompanhados do campo de refugiados de Moria, na Grécia, devastado por um incêndio.

A informação da proposta de Angela Merkel e Emmanuel Macron foi revelada à agência francesa France-Presse por uma fonte próxima do processo.Os jovens serão distribuídos entre os países da União Europeia que vão aderir à iniciativa franco-alemã, explicou a mesma fonte, acrescentando que os detalhes vão ser divulgados posteriormente pela chanceler, cujo país preside atualmente ao Conselho da UE.

Após o incêndio na noite de terça-feira no campo de migrantes de Moria, na ilha de Lesbos, novas frentes de fogo foram desencadeadas na tarde de quarta-feira, destruindo quase tudo o que restou no local que acolhia cerca de 13.000 refugiados, incluindo perto de 4.000 crianças.

Milhares de refugiados ficaram expostos na madrugada desta quinta-feira ao mau tempo que se fez sentir na Grécia, à espera de transferência das instalações destruídas pelo incêndio.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas