Escolha as suas informações

Luxemburgo. Consumidores fazem número recorde de queixas em 2020
Luxemburgo 14.01.2021

Luxemburgo. Consumidores fazem número recorde de queixas em 2020

Luxemburgo. Consumidores fazem número recorde de queixas em 2020

Pierre Matgé
Luxemburgo 14.01.2021

Luxemburgo. Consumidores fazem número recorde de queixas em 2020

Diana ALVES
Diana ALVES
O Centro Europeu dos Consumidores (CEC) do Luxemburgo nunca tinha recebido tantas reclamações. Foram quase cinco mil reclamações, com o cancelamento de voos a liderar. Por causa da covid-19.

O Centro Europeu dos Consumidores (CEC) do Luxemburgo recebeu um número recorde de queixas em 2020. A maior parte diz respeito ao setor do turismo e, sem surpresas, prende-se com o contexto da pandemia da covid-19.

Segundo um balanço anual agora divulgado, o organismo recebeu 4.779 reclamações ao longo do ano passado, tratando-se de um aumento de 46% face a 2019.

Cancelamento de voos lidera

A maior parte das queixas está relacionada com o setor do turismo, face a uma pandemia à escala planetária que levou ao encerramento de fronteiras e ao cancelamento de viagens. Segundo o balanço do organismo, 1.022 processos estão relacionados com o cancelamento de voos, 357 com pacotes de viagens e 432 com reservas de hotéis, parques de campismo e outras estruturas do alojamento turístico.´


Pagou demais por uma reparação em casa? As queixas estão a aumentar
A União dos Consumidores do Luxemburgo lança um alerta sobre preços astronómicos, consertos mal feitos e outras fraudes das empresas de reparações domésticas. E deixa conselhos.

De acordo com a diretora da secção luxemburguesa do Centro Europeu dos Consumidores, Karin Basenach, não foi um ano fácil para os juristas do organismo, que tiveram de lidar com um aumento exponencial das reclamações e com as novas regras jurídicas decorrentes da situação pandémica.

O CEC Luxemburgo faz parte de uma rede de 30 centros europeus de defesa dos direitos dos consumidores. O serviço prestado pelo organismo é gratuito, sendo financiado pela Comissão Europeia, pelo Estado luxemburguês e pela União Luxemburguesa dos Consumidores (ULC).  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas