Escolha as suas informações

Luxemburgo condena "fortemente" ato da Bielorrússia
Luxemburgo 25.05.2021

Luxemburgo condena "fortemente" ato da Bielorrússia

Luxemburgo condena "fortemente" ato da Bielorrússia

Foto: AFP
Luxemburgo 25.05.2021

Luxemburgo condena "fortemente" ato da Bielorrússia

Catarina OSÓRIO
Catarina OSÓRIO
Um caça bielorrusso interceptou no domingo um avião de passageiros da Ryanair com um jornalista opositor ao regime de Lukashenko. Avião foi forçado a aterrar em Minsk e jornalista foi detido.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros luxemburguês expressou o forte protesto esta segunda-feira junto do Embaixador da República da Bielorrússia em Bruxelas, acreditado no Luxemburgo, Aleksandr Mikhnevich, face à detenção de um jornalista opositor ao regime após a aterragem forçada de um avião de passageiros da Ryanair.

No comunicado, ainda antes do início do Conselho Europeu que aplicou sanções à Bielorrússia, o Executivo luxemburguês considera o ato das autoridades bielorrussas "inadmissível" e que "não pode ficar sem resposta, considerando que o "incidente é mais uma tentativa flagrante das autoridades da República da Bielorrússia de silenciar todas as vozes da oposição no país". E apela, por fim, à "libertação imediata" do jornalista e dissidente Raman Pratasevich. 

O jornalista e antigo editor da Nexta (media de oposição ao regime bielorrusso), Roman Protassevich, foi preso no domingo, em Minsk, pelas autoridades bielorrussas a bordo de um avião da Ryanair.
O jornalista e antigo editor da Nexta (media de oposição ao regime bielorrusso), Roman Protassevich, foi preso no domingo, em Minsk, pelas autoridades bielorrussas a bordo de um avião da Ryanair.
Foto: AFP

O antigo editor de um media da oposição bielorrussa, Nexta, foi preso após a aterragem de emergência do voo FR4978 da Ryanair pelas autoridades bielorrussas no domingo. O voo fazia a rota Atenas (Grécia)- Vilnius (Lituânia) e foi obrigado a aterrar em Minsk, capital bielorussa, onde o jornalista e a namorada foram detidos.    


Bielorrússia força aterragem de avião da Ryanair para deter jornalista
A aterragem forçada de um avião da Ryanair a pedido das autoridades bielorrussas está a gerar novo clima de tensões entre o regime de Lukashenko, a Europa e os EUA.

Os 27 Estados-membros da UE já aprovaram, entretanto, por unanimidade sanções contra a Bielorrússia. Também o Reino Unido - ex-membro da UE -  interditou na segunda-feira a companhia aérea nacional da Bielorrússia e instruiu aeronaves do Reino Unido a evitarem o espaço aéreo da Bielorrússia. 

A Organização da Aviação Civil Internacional, pertencente à ONU, considerou mesmo que a aterragem forçada "poderá ser uma violação da Convenção de Chicago", que protege a soberania do espaço aéreo das nações.   



Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas