Escolha as suas informações

Luxemburgo comprou 850.000 máscaras que não cumprem as normas europeias
Luxemburgo 29.12.2020

Luxemburgo comprou 850.000 máscaras que não cumprem as normas europeias

Luxemburgo comprou 850.000 máscaras que não cumprem as normas europeias

Luxemburgo 29.12.2020

Luxemburgo comprou 850.000 máscaras que não cumprem as normas europeias

Cerca de 200.000 foram distribuídas em estruturas hospitalares do país e entretanto recolhidas pelas autoridades.

O Luxemburgo comprou 850.000 máscaras que não cumpriam as normas europeias, desde o início da pandemia, e cerca de 200.000 foram distribuídas a estruturas hospitalares.

Estes números foram confirmados pela Ministra da Saúde, Paulette Lenert numa resposta parlamentar ao deputado do Partido Pirata, Sven Clément, refere a RTL. 

A ministra afirmou que 850.000 máscaras compradas pelo Luxemburgo não satisfaziam os requisitos europeus, ou seja, ter 94% de filtração, e que essas máscaras tinham sido adquiridas "principalmente a dois produtores chineses". Uma boa parte delas foi distribuída e acabou mesmo por ser usada em várias estruturas de saúde e organismos estatais, confirmou Paulette Lenert, explicando que "279.400 máscaras (não conformes) foram distribuídas, incluindo 200.000 a clínicas, para que estas pudessem criar um stock de reserva. 63.000 máscaras foram distribuídas a dentistas e 16.400 a administrações estatais", detalhou ainda a ministra na sua resposta escrita ao partido Pirata.

Lenert esclareceu que a unidade de logística recolheu essas máscaras e que distribuiu depois máscaras conformes às normas europeias aos hospitais, dentistas e membros das administrações estatais que tinham recebido o material desadequado. 

Apesar da situação, a ministra da Saúde lembrou ainda que o ILNAS  - o instituto que assegura a acreditação, segurança e qualidade de produtos e serviços - "monitoriza o mercado luxemburguês" e "efetua controlos nas lojas e farmácias do país", garantindo que "são tomadas as medidas necessárias para retirar do mercado luxemburguês" e dos potenciais compradores os produtos que não se encontram conformes às regras, como aconteceu com as máscaras. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas