Escolha as suas informações

Luxemburgo. 73% dos infetados pelo vírus da covid-19 estão curados
Luxemburgo 05.09.2020

Luxemburgo. 73% dos infetados pelo vírus da covid-19 estão curados

Luxemburgo. 73% dos infetados pelo vírus da covid-19 estão curados

Anouk Antony
Luxemburgo 05.09.2020

Luxemburgo. 73% dos infetados pelo vírus da covid-19 estão curados

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
No total 6126 pessoas que foram contagiadas pelo novo coronavírus recuperaram da infeção.

Desde o início da epidemia, em março, 8325 residentes no Luxemburgo foram diagnosticados com a infeção pelo novo coronavírus, segundo os dados oficiais divulgados neste sábado. Deste total, 6126 pessoas, recuperaram da doença. Feitas as contas 73,59% dos infetados do Grão-Ducado ficaram curados da covid-19. Uma boa percentagem, de facto.

Desde o início da epidemia que não registiram à infeção pelo novo coronavírus 124 pessoas, tendo o último doente falecido a 17 de agosto. Há três semanas que não há novos registos de óbitos.


Covid-19. Luxemburgo com mais 42 infeções e mais um dia sem mortes
Nas últimas 24 horas, os dois doentes dos cuidados intensivos também melhoraram e deixaram estes serviços.

O Luxemburgo está entre os países que mais testam a sua população, o País e a Islândia têm sido os líderes dos testes em larga escala.

E este mês iniciou-se já a segunda fase destes testes PCR à população desta vez mais direcionados para setores e grupos específicos.

Apesar do número de novos casos estar agora a diminuir os especialistas recomendam vivamente que os residentes continuem a cumprir as regras de prevenção, mais do que nunca, já que as simulações sobre a evolução da epidemia a curto e médio prazo no País apontam para a possibilidade da chegada de uma terceira vaga em meados de setembro que deverá tingir o pico lá para dia 26 de outubro.


"Uma nova vaga poderá ocorrer a partir de meados de setembro no Luxemburgo"
“A situação atual tem um potencial inerente de reativação da epidemia. Uma nova vaga poderá ocorrer a partir de meados de setembro, quando se prevê que as interações sociais no Luxemburgo aumentem novamente após o período de férias”, afirma ao Contacto o investigador Paul Wilmes, porta-voz da task force Covid-19.

O regresso das férias e o início do ano letivo são tidos como possíveis situações de aumento do número de casos de infeção dado que significam mais contactos sociais. Por isso, as medidas de prevenção têm de ser respeitadas: uso de máscara, distanciamento social e lavagem frequente das mãos.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas