Escolha as suas informações

Luxemburgo. “70% da população corre o risco de ser infetada” pelo coronavírus
Luxemburgo 2 min. 13.03.2020 Do nosso arquivo online

Luxemburgo. “70% da população corre o risco de ser infetada” pelo coronavírus

Luxemburgo. “70% da população corre o risco de ser infetada” pelo coronavírus

Gerry Huberty
Luxemburgo 2 min. 13.03.2020 Do nosso arquivo online

Luxemburgo. “70% da população corre o risco de ser infetada” pelo coronavírus

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Mas, a “maioria sofrerá apenas de uma boa gripe”, disse a ministra da saúde, após ter apontado as probabilidades de infeção elaboradas por especialistas.

“A ciência diz que temos que considerar que boa parte da população, 70%, como também será o caso no estrangeiro, corre o risco de ser afetada por este vírus”, declarou a Ministra da Saúde, Paulette Lenert, na conferência de imprensa, ontem à noite. Esta é uma estimativa internacional e idêntica à de outros países feita com base na fase atual da pandemia, frisou ontem na conferência de imprensa ao país para anunciar novas medidas para prevenir a propagação do vírus.

No entanto, “a maioria sofrerá apenas de uma boa gripe”, sem outros de problemas de saúde maiores, acrescentou a ministra de seguida. Tais probabilidades de infeção foram estimadas por especialistas para a Europa e não apenas para o Luxemburgo. 

Até ontem, o país tinha 26 casos de pessoas infetadas, entre eles uma doente de 90 anos em caso crítico.


Covid-19. Todas as escolas portuguesas encerradas a partir de segunda-feira
Discotecas e similares vão ser encerrados, restaurantes reduzidos a um terço e centros comerciais terão acessos restritos. Primeiro-ministro alerta que pico da pandemia ainda está por chegar.

O cenário possível de infeção futura traçado por Paulette Lenert é idêntico ao declarado por Angela Merckel para a Alemanha na quarta-feira. "60 a 70% dos habitantes da Alemanha serão infetados com o coronavírus", disse a chanceler num comunicado ao país. 

Testes limitados  

O primeiro-ministro Xavier Bettel e a ministra da Saúde admitiram que o stock de testes de diagnóstico da doença “não é finito”, e perante uma percentagem tão elevada de suspeitas de infeção há que atender com prioridade “os doentes com complicações têm preferência”.

 “Essas pessoas precisarão ser testadas para fazer um diagnóstico correto e fornecer tratamento adequado. É uma questão de usá-los com sabedoria, para não esgotar os stocks antes da próxima entrega”, explicou a ministra da saúde.

Implementar as teleconsultas

O primeiro-ministro e a ministra da Saúde pediram ainda para que quem suspeite que possa estar infetado que fique em casa em quarentena e recorra aos conselhos do governo.   

A linha direta 8002 8080 vai ser a partir de hoje reforçada para atender os utentes, embora se preveja que só amanhã possa estar a funcionar plenamente.


As duas primeiras filas dos autocarros deixam de poder ser utilizadas a partir desta sexta-feira.
Covid-19. Medidas de proteção nos autocarros
Entre as várias medidas adotadas pelo Governo para combater a pandemia no Luxemburgo, encontra-se o reforço de autocarros das várias linhas em hora de ponta e a criação de zonas neutras no interior dos mesmos para evitar uma maior proximidade entre os passageiros e o motorista.

Para prevenir o contágio e diminuir as idas aos hospitais e centros de saúde o governo vai implementar um sistema de teleconsultas para que a partir de casa, os utentes possam consultar o médico, pedir conselhos e ser tratados à distância.

Os governantes apelaram ao "bom senso da população e para que "todos nós contribuam da melhor forma possível" para evitar a propagação do novo coronavírus.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Covid-19. Governo reduz a 10 pessoas limite para reuniões em casa
A ministra da Saúde diz que não é possível ter metade do país em casa. Para evitar isso é preciso apostar nos gestos barreira e na distância social. As medidas que o Governo vai levar ao Parlamento diminuem o número de pessoas que podem estar juntas, e aumentam as sanções para quem não cumprir.