Escolha as suas informações

Lisboa / Cimeira dos países do Sul da Europa: Costa e Hollande defendem uma Europa democrática, forte e unida, neste tempo de incertezas
Luxemburgo 28.01.2017

Lisboa / Cimeira dos países do Sul da Europa: Costa e Hollande defendem uma Europa democrática, forte e unida, neste tempo de incertezas

Lisboa / Cimeira dos países do Sul da Europa: Costa e Hollande defendem uma Europa democrática, forte e unida, neste tempo de incertezas

Foto: LUSA
Luxemburgo 28.01.2017

Lisboa / Cimeira dos países do Sul da Europa: Costa e Hollande defendem uma Europa democrática, forte e unida, neste tempo de incertezas

François Hollande defendeu hoje em Lisboa que a Europa deve responder ao novo Presidente norte-americano mostrando que é "uma garantia e um espaço de liberdade e de democracia". António Costa, defendeu que é essencial uma "União Europeia mais forte mais unida" em torno dos valores da democracia e do comércio livre.

O Presidente francês, François Hollande, defendeu hoje em Lisboa que a Europa deve responder ao novo Presidente norte-americano mostrando que "não é protecionista nem fechada", mas "uma garantia e um espaço de liberdade e de democracia".

"A Europa não é protecionista, não é fechada, tem valores e tem princípios", disse o Presidente francês aos jornalistas após a fotografia de família, durante a cimeira de países do sul da Europa, que decorre hoje em Lisboa.

Hollande acrescentou que a Europa "é uma força, uma garantia, uma proteção e um espaço de liberdade e de democracia".

Uma posição que, sublinhou, a Europa deve transmitir com clareza ao Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

O primeiro-ministro português, António Costa, defendeu que no atual "tempo de incertezas" é essencial uma "União Europeia mais forte mais unida" em torno dos valores da democracia e do comércio livre.

"Neste tempo de muitas incertezas ao nível mundial é essencial termos uma União Europeia mais forte e mais unida em torno dos seus valores da democracia, das suas quatro liberdades e do comércio livre a nível mundial", declarou António Costa, no final da cimeira dos países do sul da União Europeia, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

O anfitrião da cimeira dos países do sul afirmou que, para o fortalecimento da União Europeia, há que "dar respostas concretas que reforcem a confiança dos cidadãos e a capacidade da União de dar respostas àquilo que são os seus anseios principais", apontando como áreas "absolutamente essenciais o crescimento, o emprego e a convergência, a segurança interna e externa e a gestão das migrações".

A cimeira de países do sul da Europa começou hoje pouco depois das 11:00, em Lisboa, com a participação do primeiro-ministro, António Costa, e dos chefes de Estado e de Governo de Chipre, Espanha, França, Grécia, Itália e Malta.

Durante o encontro, os dirigentes dos sete países procuraram concertar posições sobre o futuro da União Europeia, no contexto da saída do Reino Unido, focando-se nos temas das migrações, segurança e defesa e a união económica e monetária.





Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas