Escolha as suas informações

Linha para Metz é a campeã em atrasos e cancelamentos
Luxemburgo 3 min. 01.12.2022
Comboios

Linha para Metz é a campeã em atrasos e cancelamentos

Comboios

Linha para Metz é a campeã em atrasos e cancelamentos

Foto: Lex Kleren/Luxemburger Wort
Luxemburgo 3 min. 01.12.2022
Comboios

Linha para Metz é a campeã em atrasos e cancelamentos

Redação
Redação
A linha transfronteiriça para Thionville e Metz é a pior da rede dos CFL. A linha 50, que liga o Luxemburgo à cidade belga de Arlon, é a mais fiável do país.

A linha transfronteiriça 90, que liga o Luxemburgo a Thionville e Metz (França), é a linha com mais problemas, de acordo com as estatísticas sobre atrasos e cancelamentos de comboios na rede CFL reveladas esta quinta-feira pelo Ministério da Mobilidade.

De acordo com os números fornecidos por François Bausch em resposta a uma pergunta do deputado Marc Goergen, do Partido Pirata, a linha 90 (Luxemburgo-Thionville-Metz-Nancy) registou 11,4% de atrasos desde janeiro deste ano. É o dobro do número registado na maioria das linhas da rede. 

Em comparação, na linha 50, que liga o Luxemburgo à cidade belga de Arlon, apenas 2,7% dos comboios chegaram atrasados desde o início do ano. Esta é, segundo os dados apurados, a linha mais fiável do país.


Autocarros de substituição vão ligar Thionville e Luxemburgo em 2024
A alteração, que se deve às obras de requalificação da rede ferroviária, foi anunciada na noite desta terça-feira pelos CFL.

Meses mais difíceis foram setembro e outubro

Os meses mais difíceis para os utilizadores do trajeto Luxemburgo-Thionville-Metz foram setembro e outubro (15,2% e 13,3% dos comboios chegaram atrasados, respetivamente).

Durante estes dois meses, os utentes tiveram de lidar com trabalhos de construção, que perturbaram o tráfego ferroviário normal. Julho foi também marcado por vários atrasos, com as obras de construção da linha Luxemburgo-Bettemburgo a causarem muitas interrupções. 

Os CFL consideram que um comboio está atrasado após 6 minutos da hora marcada, de acordo com uma diretriz europeia. O atraso é medido no terminal do comboio para o tráfego doméstico e no ponto de fronteira para os comboios com uma estação estrangeira. 

Mais de 4% dos comboios cancelados desde janeiro 

A imagem não é melhor quando se trata de cancelamentos de comboios. Embora tenha havido menos cancelamentos de comboios do que atrasos, a linha 90 foi também a que teve pior desempenho na rede CFL, com um total de 4,3% de comboios cancelados. São quatro vezes mais cancelamentos do que na linha 30, que liga o Luxemburgo a Trier, na Alemanha. Quanto à linha 50, registou 2,8% de cancelamentos desde janeiro. 

As causas destas supressões são numerosas: 29% devem-se a "causas externas", ou seja, más condições climatéricas, por exemplo, ou greves. Segue-se a "indisponibilidade de material circulante" (25% dos comboios cancelados), que inclui avarias nas máquinas ou ligadas ao sistema ERTMS. Outra das causas é a "indisponibilidade de instalações ferroviárias" (17%), ou seja, problemas com telecomunicações ou barreiras, por exemplo. 

Melhoras no serviço só em em 2028/2030

Como o deputado Marc Goergen assinala na pergunta ao ministro, as queixas sobre comboios atrasados ou cancelados estão a tornar-se cada vez mais frequentes, especialmente na famosa linha 90. E a situação não está prevista melhorar, segundo a Corest (o comité dos serviços de transporte regional) que teve lugar na quarta-feira. 

Os trabalhos de renovação das linhas entre Thionville e Zoufftgen estão previstos terminar apenas no final de maio de 2023. E no verão de 2024 está previsto um novo bloqueio em Bettembourg, com a instalação de autocarros de substituição a partir de Thionville. 

A SNCF diz estar consciente dos muitos problemas que têm atormentado a vida quotidiana de vários trabalhadores que usam o serviço e refere que tudo entrará nos eixos em 2028/2030. 

(Artigo originalmente publicado no Virgule e editado para o Contacto por Paula Freitas Ferreira.)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas