Escolha as suas informações

"Limitar a duas pessoas o número de convidados é discriminatório para as famílias numerosas"
Luxemburgo 19.11.2020

"Limitar a duas pessoas o número de convidados é discriminatório para as famílias numerosas"

"Limitar a duas pessoas o número de convidados é discriminatório para as famílias numerosas"

Foto: Lex Kleren/Luxemburger Wort
Luxemburgo 19.11.2020

"Limitar a duas pessoas o número de convidados é discriminatório para as famílias numerosas"

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Caso as novas medidas entrem em vigor, está previsto interromper completamente as visitas em casa.

"Limitar a dois o número de pessoas que se pode receber em casa, é discriminatório para as famílias numerosas". Esta foi uma das conclusões dos deputados da comissão parlamentar da Saúde, que esta quarta-feira estiveram reunidos com a ministra da Saúde, Paulette Lenert, para a analisar o projeto de lei com as novas medidas do Governo, que poderão entrar em vigor na próxima semana, caso o número de novas infeções não baixe.

Alguns deputados defendem que reduzir o número de pessoas que se pode receber em casa de quatro para dois, é um cálculo injusto e leva a situações incoerentes. O exemplo apontado é o de uma família de quatro pessoas que pode convidar uma família de duas pessoas, mas não pode visitar essa mesma família em casa dela, apesar de o total de pessoas reunidas ser sempre de seis.

Para os deputados seria mais vantajoso introduzir o sistema de "bolhas" como na Alemanha. Ou seja cada agregado familiar seria considerado como uma "bolha" independentemente do número de membros. Possibilitando assim que duas "bolhas familiares" se possam reunir em casa.

A ministra da Saúde reconheceu que nenhuma solução é ideal, mas diz querer manter o sistema decidido pelo Governo. Segundo Paulette Lenert, o sistema de "bolhas familiares" pode rapidamente aumentar o risco de contágio, caso duas famílias numerosas se reúnam em casa. Lenert acrescenta ainda que, caso as novas medidas entrem em vigor, elas visam  interromper completamente as visitas em casa. Mesmo assim o Governo decidiu deixar uma margem mínima de dois convidados. O projeto de lei tem de ser agora analisado pelo Conselho de Estado. Caso as medidas entrem em vigor para a semana, estarão em vigor até 15 de dezembro. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas