Escolha as suas informações

Legalização do uso recreativo da canábis só para residentes
Luxemburgo 06.12.2018

Legalização do uso recreativo da canábis só para residentes

 Der persönliche Besitz von Haschisch ist beschränkt auf 30 Gramm .

Legalização do uso recreativo da canábis só para residentes

Der persönliche Besitz von Haschisch ist beschränkt auf 30 Gramm .
Foto: AFP
Luxemburgo 06.12.2018

Legalização do uso recreativo da canábis só para residentes

Diana ALVES
Diana ALVES
O Luxemburgo poderá vir a produzir canábis para uso recreativo. Essa é uma das medidas previstas no acordo de Governo no que toca a descriminalização da planta.

Há, no entanto, algumas dúvidas sobre a futura legislação, já que o documento de 246 páginas – assinado por liberais, socialistas e ecologistas – dedica apenas dois parágrafos ao assunto.

Segundo o acordo, “os principais objetivos serão despenalizar, e eventualmente legalizar a produção em território nacional, assim como a venda, a posse e o consumo recreativo de canábis”. O documento acrescenta que em causa estão “as necessidades pessoais dos residentes maiores de idade”, o que, à primeira vista, quer dizer que apenas os moradores em solo luxemburguês poderão usufruir da legalização da planta. Se a ideia é evitar o turismo da canábis, resta no entanto esclarecer como é que a medida será aplicada e se esta exclui, por exemplo, os transfronteiriços que trabalham, pagam impostos e consomem no Luxemburgo.

O acordo de Governo sublinha ainda que a futura lei visa também afastar os consumidores do mercado ilícito, combater a criminalidade e reduzir os perigos associados à venda e ao consumo da canábis. Para garantir a qualidade do produto, a produção e a venda da planta serão controladas pelo Estado.

Já as receitas provenientes das vendas serão investidas na prevenção, sensibilização e acompanhamento em matéria de toxicodependência.

Recorde-se que o Luxemburgo legalizou em junho o uso de canábis para fins medicinais, permitindo a doentes oncológicos, com esclerose múltipla ou com dor crónica receber tratamento médico à base da planta no país.


Notícias relacionadas