Escolha as suas informações

LCGB contra suspensão de autocarros para grandes empresas
Luxemburgo 05.12.2022
Mobilidade

LCGB contra suspensão de autocarros para grandes empresas

Transporte para as fábricas da Goodyear, em Colmar-Berg, vai deixar de estar assegurado.
Mobilidade

LCGB contra suspensão de autocarros para grandes empresas

Transporte para as fábricas da Goodyear, em Colmar-Berg, vai deixar de estar assegurado.
Foto: DR
Luxemburgo 05.12.2022
Mobilidade

LCGB contra suspensão de autocarros para grandes empresas

Sandro CABETE DOS SANTOS
Sandro CABETE DOS SANTOS
Transporte para as fábricas da Goodyear, em Colmar-Berg, da Arcelor Mittal, em Bissen, da CFL Multimodal, em Bettembourg, da Cebi, em Steinsel e da S.E.O, em Vianden, entre outras, já não está garantido.

A central sindical LCGB opõe-se, num comunicado enviado às redações, ao projeto do Ministério da Mobilidade de suspender várias linhas de autocarros para algumas grandes empresas ao início do ano 2023.

Até agora, o transporte para as fábricas da Goodyear, em Colmar-Berg, da Arcelor Mittal, em Bissen, da CFL Multimodal, em Bettembourg, da Cebi, em Steinsel e da S.E.O, em Vianden, entre outras, estava garantido.

Por razões económicas, François Bausch, ministro da Mobilidade, quer acabar com estas linhas que transportam todos os dias residentes e transfronteiriços para o local de trabalho.A LCGB não entende esta decisão e pede ao ministro para rever a sua posição, sobretudo tendo em conta que estas pessoas vão ter de recorrer ao automóvel para ir trabalhar. 

Com um a inflação galopante, sobretudo, por causa dos preços dos combustíveis, esta medida vai diminuir ainda mais o poder de compra destes trabalhadores, defende a central sindical.

A LCGB questiona igualmente a coerência desta decisão, olhando para os objetivos de descarbonização até 2050 da União Europeia e a atual saturação do trânsito rodoviário.

Por isso, reivindica a retirada imediata deste projeto e solicita uma entrevista urgente com o ministro da Mobilidade para encontrar alternativas.

Por seu lado, o Governo diz que a manutenção das linhas não se justificava e garante que os trajetos serão tidos em conta pela rede de transportes públicos.                                                                                             

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.