Escolha as suas informações

Língua portuguesa vai fazer parte do primeiro ciclo em 2017
Luxemburgo 2 min. 16.09.2015 Do nosso arquivo online
Ministro da Educação apresenta novidades no regresso às aulas

Língua portuguesa vai fazer parte do primeiro ciclo em 2017

Ministro da Educação apresenta novidades no regresso às aulas

Língua portuguesa vai fazer parte do primeiro ciclo em 2017

Chris Karaba
Luxemburgo 2 min. 16.09.2015 Do nosso arquivo online
Ministro da Educação apresenta novidades no regresso às aulas

Língua portuguesa vai fazer parte do primeiro ciclo em 2017

A língua portuguesa vai ser ensinada primeiro ciclo (precoce e pré-escolar) a partir de 2017. A garantia foi dada esta segunda-feira pelo ministro da Educação, Claude Meisch, durante uma conferência de imprensa sobre o início do novo ano lectivo.

“Estou em permanente contacto com o ministro da Educação de Portugal, Nuno Crato, e um dos projectos concretos que temos é de reorientar os recursos humanos postos à disposição por Portugal para os cursos integrados nas nossas escolas primárias, mas também nas creches, e no primeiro ciclo. Aproveitando bem os recursos portugueses podemos intervir mais cedo junto das crianças e melhorar também a língua materna portuguesa. O projecto está planeado para 2017”, disse Claude Meisch ao CONTACTO.

Até lá, o projecto-piloto do ensino do português no primeiro ciclo está a ser levado a cabo em cerca de vinte escolas do Luxemburgo. Para o ministro, já era tempo de “harmonizar” o ensino do português com o sistema luxemburguês.

“Depois de mais 30 anos de ensino do português fizemos uma avaliação, e a ideia agora é orientar e harmonizar esse ensino com a política do país. Queremos apoiar desde cedo a aprendizagem de diferentes línguas, como o luxemburguês, o francês e também a língua materna das crianças. Os professores de português que participam neste projecto são acompanhados pelo Ministério e creio que é um projecto muito interessante”, disse o ministro, que prometeu ainda “dar mais autonomia às escolas”.

“Não podemos ter um sistema escolar em que alunos tão diferentes sejam colocados nas mesmas escolas e estejam sujeitos aos mesmos esforços para terem os mesmos resultados. Isso é impossível, portanto é preciso mais diversidade na nossa oferta escolar, diferentes modelos para acolher a grande diversidade de alunos no Luxemburgo”, acrescentou Meisch.

CURSO DE EDUCAÇÃO PARA OS VALORES SÓ EM 2017

Outra das novidades apresentadas por Claude Meisch diz respeito ao curso de educação para os valores. A nova disciplina, que vai substituir curso de religião e moral, só vai começar em 2017, e não já este ano como estava previsto. A disciplina vai designar-se “Vida e Sociedade”.

Meisch anunciou ainda a criação, em parceria com a Universidade do Luxemburgo, do “Luxembourg Centre for Educational Studies”.

O centro de Ciências da Educação vai ser inaugurado em 2016 e vai juntar uma editora luxemburguesa de material didáctico, um centro de competências para o desenvolvimento curricular, e ainda o desenvolvimento de pesquisas sobre o sistema escolar luxemburguês.

Para combater o abandono escolar, Claude Meisch relembrou, entre outras medidas, a criação do Observatório da Manutenção Escolar que “vai servir para defender os alunos mais fracos, reunir e avaliar as estatísticas sobre o abandono escolar e apresentar estratégias de combate ao abandono e insucesso escolares”, concluiu o ministro. n Henrique de Burgo


Notícias relacionadas

TRIBUNA LIVRE, por Paulo Pisco - Portugal e o Luxemburgo são países amigos e importantes um para o outro, unidos não apenas pela História, dado que a grã-duquesa Maria Ana era portuguesa, filha de D.Miguel I, e porque, posteriormente, durante a Segunda Guerra Mundial, a família grã-ducal esteve exilada em Portugal, mas também porque nas últimas décadas os portugueses no grão-ducado foram construindo laços que são hoje de tal forma sólidos, que a nossa comunidade é parte incontornável na economia, na sociedade e na política luxemburguesa.
O deputado Paulo Pisco