Escolha as suas informações

Kartheiser quer centros para homens e rapazes vítimas de violência doméstica
Luxemburgo 27.05.2020

Kartheiser quer centros para homens e rapazes vítimas de violência doméstica

Kartheiser quer centros para homens e rapazes vítimas de violência doméstica

Foto: dpa
Luxemburgo 27.05.2020

Kartheiser quer centros para homens e rapazes vítimas de violência doméstica

Diana ALVES
Diana ALVES
A iniciativa do deputado do ADR é uma de duas moções sobre violência doméstica que vão estar em destaque esta quarta-feira no Parlamento.

O deputado do ADR, Fernand Kartheiser, quer que o Governo crie centros específicos para acolher homens e rapazes vítimas de violência doméstica. A reivindicação político será discutida no Parlamento, na quarta-feira, no âmbito de uma moção sobre matéria. No texto, o deputado cita dados do Ministério da Igualdade, segundo os quais apenas 11,86% das camas existentes nas estruturas atuais são destinados a homens. 

O parlamentar diz que este número é insuficiente, já que, de acordo com o Comité de Cooperação entre os Profissionais da área da Luta contra a Violência, 33,9% das vítimas de violência doméstica, em 2018, eram homens. O deputado do ADR pede ainda ao Governo que possibilite a pais e filhos, vítimas de violência doméstica, poder permanecer nas ditas estruturas durante períodos mais longos. 

A iniciativa de Fernand Kartheiser é uma de duas moções sobre violência doméstica que vão estar em destaque, esta quarta-feira no Parlamento. A segunda é da autoria de Françoise Hetto-Gaasch, na qual a deputada volta a propor, entre outras medidas, a criação de uma linha de apoio que esteja operacional 24 horas por dia, a implementação do uso de pulseira eletrónica para os agressores e a criação de um 'violentómetro' que avalie a "toxicidade de uma relação". 


Violência doméstica. Vítimas com 'app' para alertas e agressores com pulseira eletrónica
Ministras aceitam medidas propostas pela deputada Françoise Hetto para diminuir agressões em mulheres e crianças. Não há previsão da sua aplicação.

Como lembra a deputada cristã-social, em 2018 a polícia teve de intervir em 739 situações de violência doméstica, verificando-se um aumento de 3,36% face ao anterior. A moção parlamentar é um instrumento político que permite aos deputados apresentarem e submeterem a voto uma proposta fora do processo de elaboração de uma lei. O objetivo é "convidar" Governo a tomar uma determinada iniciativa ou a adotar uma determinada posição. 

Ambas as moções serão debatidas esta quarta-feira, a partir das 8h30, no seio das comissões da Justiça e da Igualdade entre Homens e Mulheres. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas