Escolha as suas informações

Jovens protestam frente ao parlamento luxemburguês
Luxemburgo 29.11.2019

Jovens protestam frente ao parlamento luxemburguês

Jovens protestam frente ao parlamento luxemburguês

Foto: Charly Triballeau/AFP
Luxemburgo 29.11.2019

Jovens protestam frente ao parlamento luxemburguês

Telma MIGUEL
Telma MIGUEL
O objetivo é concreto: garantir que o plano de energia e do clima "proteja o futuro".

O movimento Youth for Climate (Jovens pelo Clima, em portugês) do Luxemburgo apela aos estudantes para que se reúnam hoje, às 15h, em frente ao parlamento luxemburguês.

Em comunicado, o movimento explica que decidiu concentrar a sua ação no sentido de pressionar os políticos do país a adotar "uma lei climática que contenha objetivos ambiciosos e iniciativas que sejam postas rapidamente em prática para contrariar o ritmo acelerado da crise climática".


Students hold a banner and placards during a demonstration on Piazza della Repubblica in Rome, as part of the Fridays for Future movement for climate change, on November 29, 2019. (Photo by ANDREAS SOLARO / AFP)
Hoje há greve mundial pelo clima e ‘black friday’
Nada podia ser mais contraditório. Esta sexta-feira, enquanto uns vão aproveitar os saldos, outros vão lutar contra a sociedade consumista, na quarta greve mundial pelo clima do ano.

"É a nossa última chance de dizer aos políticos e ao governo que devem elaborar uma lei sobre o clima que proteja o nosso futuro e a vida neste planeta". Os jovens referem-se em concreto ao Plano Nacional Clima e Energia (PNCE), que deverá ser apresentado à Comissão Europeia (CE) até ao final deste ano. "As políticas governamentais, e em particular este plano, irão ou destruir ou construir um futuro viável neste planeta. Considerando que o PNCE deverá ser apresentado à CE antes de 31 de dezembro, o tempo está a acabar e os cidadãos devem fazer ouvir a sua voz", apelam os jovens.


Notícias relacionadas

Protestos em França contra a Amazon
Os ativistas empilharam fardos de palha, frigoríficos e máquinas de lavar no local das descargas para impedir dezenas de camiões, com matrículas da Lituânia, Alemanha e Bélgica de entrar no imenso centro logístico em França.