Escolha as suas informações

Jornal Le Monde elogia Luxemburgo pela "gestão eficaz" da crise sanitária
Luxemburgo 2 min. 10.06.2020

Jornal Le Monde elogia Luxemburgo pela "gestão eficaz" da crise sanitária

Jornal Le Monde elogia Luxemburgo pela "gestão eficaz" da crise sanitária

Foto: Chris Karaba
Luxemburgo 2 min. 10.06.2020

Jornal Le Monde elogia Luxemburgo pela "gestão eficaz" da crise sanitária

Redação
Redação
O conhecido jornal francês colocou em evidência o Grão-Ducado pela sua gestão bem sucedida da crise sanitária.

Num artigo publicado na terça-feira, o jornal Le Monde analisou a estratégia do Luxemburgo para fazer face à crise do coronavírus. Nas colunas daquele que é um dos mais importantes meios de comunicação social franceses classifica-se a luta do Grão-Ducado contra o vírus como uma "gestão eficaz". 

"O Luxemburgo terá sido sem dúvida o laboratório de uma gestão eficaz dos riscos ligados ao Covid-19", escreve o Le Monde.

A sua estratégia de rastreio e os significativos recursos médicos disponibilizados para gerir o fluxo de doentes permitiram que os serviços hospitalares não fossem esmagados pela onda de contaminação... e até para acolher doentes franceses e libertar algumas camas nos hospitais da Grande Est. É este mesmo auxílio que lhe dará um lugar de honra nas celebrações de 14 de Julho em França, ao lado de outros países que auxiliaram a França neste momento delicado. 

A antecipação do governo de Xavier Bettel ("Quando vi o que estava a acontecer em Wuhan no início do ano, pedi ao nosso Alto Comissário para a Protecção Nacional que elaborasse uma espécie de cenário de catástrofe") e as suas ligações com a China tornaram possível manter o fornecimento de máscaras, salienta o jornal. 

Mas, por muito sólido que seja, o Luxemburgo ainda precisava dos seus vizinhos, especialmente quando o encerramento das fronteiras pôs em perigo o sistema de saúde, que está muito dependente dos trabalhadores fronteiriços. O alojamento hoteleiro oferecido a estes trabalhadores, símbolo da necessidade de os manter por perto, e a criação de unidades de cuidados avançados são tudo prova do voluntarismo do país. 

O Governo não esqueceu os trabalhadores fronteiriços quando decidiu oferecer 50 máscaras a todos os residentes com idade superior a 16 anos.

Agora, segundo o Le Monde, chegou o momento de um renascimento: "À frente de um país privilegiado, que é um paraíso de paz para o sector financeiro e também um dos principais beneficiários do valor acrescentado europeu, Xavier Bettel diz que não quer esquecer os outros: "Não compreendo porque é que estamos a demorar tanto tempo a chegar a acordo sobre os planos de ajuda. Mas Angela Merkel mostrou o caminho a seguir", afirma, referindo-se ao apoio da Chanceler alemã ao plano de recuperação actualmente em negociação na União Europeia, no montante de 750 mil milhões de euros, financiado pela emissão de uma dívida conjunta".     

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Covid-19. O mês em que abandonamos as ruas da Europa
O estado de emergência de três meses foi decretado há nove dias, mas o número de infetados do país não para de crescer. O Luxemburgo chegou a ser apontado como o terceiro país do mundo com mais casos positivos de coronavírus, por cada milhão de habitantes. O primeiro-ministro, Xavier Bettel, explica a razão: “estamos a fazer mais testes que nos outros países, por isso, temos mais casos registados”.