Escolha as suas informações

Jeannot Waringo nomeado para rever contratações na Corte grã-ducal
Luxemburgo 22.08.2019

Jeannot Waringo nomeado para rever contratações na Corte grã-ducal

Jeannot Waringo.

Jeannot Waringo nomeado para rever contratações na Corte grã-ducal

Jeannot Waringo.
Foto: Guy Jallay
Luxemburgo 22.08.2019

Jeannot Waringo nomeado para rever contratações na Corte grã-ducal

Desde 2015, mais de 30 pessoas deixaram de trabalhar para a família grã-ducal. O Governo quer agora um relatório sobre a política de contratação da Corte.

O primeiro-ministro Xavier Bettel nomeou um "representante especial" para rever a política de gestão dos funcionários da Corte grã-ducal.

De acordo com o jornal online Reporter.lu, mais de 30 pessoas deixaram de trabalhar para a família grã-ducal depois 2015. Estas mudanças terão levado, segundo o jornal, o Governo a nomear Jeannot Waringo como representante especial do primeiro-ministro, com a responsabilidade de rever a política de contratações junto do Palácio grão-ducal.


No espaço de duas semanas, já lá vão três demissões no Palácio grão-ducal
Demissões: Mais duas saídas no Palácio grão-ducal
O secretário-geral da administração dos bens do Grão-Duque e a responsável de imprensa do Palácio grão-ducal vão abandonar os cargos. Na passada semana foi a vez do marechal da corte ter abandonado o cargo.

O ex-diretor da Inspeção Geral de Finanças e atual presidente do conselho de administração dos CFL, vai analisar a situação e relatar as suas conclusões a Xavier Bettel.

Esta não é a primeira vez que o Governo interfere na gestão dos recursos humanos da Corte grã-ducal. Segundo o Wort.lu, em junho de 2016, o executivo liderado por Xavier Bettel terá sugerido num encontro com o Grão-Duque Henri que o Estado deveria ter um mínimo de fiscalização do financiamento dotado à família grã-ducal.


Réception jeudi soir au château Colmar-Berg.
Empregada ao serviço da grã-duquesa ameaça escrever livro sobre família real
Uma empregada ao serviço da grã-duquesa desde 2001 ameaça escrever um livro sobre a família real, depois de ter sido despedida, alegadamente de forma ilegal.

Recorde-se que os gastos com os funcionários do Palácio grão-ducal são financiados com o dinheiro dos contribuintes. Em 2018, estes gastos atingiram uma soma de 7,6 milhões de euros, dentro de um orçamento total de quase 11 milhões de euros (10,7).


Notícias relacionadas

Grão-Duque já recebeu Xavier Bettel
Depois das eleições legislativas de ontem e conforme faz parte do procedimento habitual, o primeiro-ministro apresentou a demissão e o Grão-Duque solicitou que se mantenha em funções até à formação de um novo Executivo.
António Costa recebido no Luxemburgo com honras militares
O primeiro-ministro português António Costa foi recebido esta manhã com honras militares, na place Clairefontaine, na cidade do Luxemburgo, pelo seu homólogo Xavier Bettel. António Costa seguiu depois para uma audiência com o Grão-Duque Henri no palácio grão-ducal.
António Costa foi recebido por Xavier Bettel
Estado fiscaliza despesas: Palácio grão-ducal dá emprego a 103 pessoas
O palácio grão-ducal tem 103 funcionários ao seu serviço, incluindo 23 agentes destacados por diversos organismos do Estado. Os números foram divulgados na passada semana pelo primeiro-ministro Xavier Bettel, depois da recente polémica sobre o recrutamento de funcionários para o palácio grão-ducal.
O Estado financia "unicamente as missões oficiais" do Palácio grão-ducal