Escolha as suas informações

Jean-Claude Juncker envia mensagem de condolências
Luxemburgo 23.04.2019

Jean-Claude Juncker envia mensagem de condolências

Jean-Claude Juncker envia mensagem de condolências

Foto: AFP
Luxemburgo 23.04.2019

Jean-Claude Juncker envia mensagem de condolências

Presidente da Comissão Europeia lamenta desaparecimento do Grão-Duque Jean. Embaixador dos Estados Unidos no Luxemburgo também enviou mensagem "à família, ao Governo e ao povo".

O presidente da Comissão Europeia e antigo primeiro-ministro do Luxemburgo, Jean-Claude Juncker reagiu à morte do Grão-Duque Jean e enviou uma mensagem de condolências.  “É com uma grande emoção e uma profunda tristeza que recebi a notícia da morte da Sua Alteza Real, o Grão-Duque Jean”, pode ler-se no comunicado enviado esta manhã às redações.

Juncker acrescenta que, como o povo luxemburguês, tinha uma enorme estima para com "o homem bondoso e corajoso que, ao longo do seu reinado, deu o melhor de si ao país. A sua morte é uma grande perda para o Grão-Ducado e para a Europa", considerou.

O líder da Comissão Europeia terminou o comunicado a sublinhar que o Grão-Duque Jean "sempre esteve próximo dos luxemburgueses que hoje estão unidos na mesma tristeza. Neste momento doloroso, os meus pensamentos estão com a família grã-ducal".

Também a embaixada dos Estados Unidos já expressou as suas condolências. O embaixador Randy Evans referiu que "a embaixada, o Governo e o povo dos Estados Unidos juntam-se no luto pela perda do Grão-Duque Jean e expressam as mais profundas condolências à família, ao povo e ao Governo do Luxemburgo".

Na mensagem partilhada com as redações, o embaixador dos Estados Unidos escreve: "O seu papel foi indispensável na transição de um povo cuja identidade esteve perto de ser aniquilada até ao Grão-Ducado que a sua mãe, a Grã-Duquesa Charlotte, preservou com um combate valente. Não teve tarefa fácil para suceder à liderança de uma figura maior do que a vida num país tão destruído pela guerra e sob desafios das potências vizinhas. No entanto, conseguiu. Sem ele, o Grão-Ducado do Luxemburgo não existiria como o conhecemos hoje: próspero, em crescimento e apresentando-se como uma das nações mais influentes do mundo. Choramos a sua morte ao lado do povo do Grão-Ducado, celebramos a sua vida e rezamos pelo conforto da família e de um país que tanto amou".


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.