Escolha as suas informações

Já se dorme na rua para tentar conseguir casa económica em Hesperange
Luxemburgo 2 min. 03.10.2019 Do nosso arquivo online

Já se dorme na rua para tentar conseguir casa económica em Hesperange

Já se dorme na rua para tentar conseguir casa económica em Hesperange

Foto: Chris Karaba
Luxemburgo 2 min. 03.10.2019 Do nosso arquivo online

Já se dorme na rua para tentar conseguir casa económica em Hesperange

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Uma dezena de pessoas pernoitou ao relento para se inscrever num novo empreendimento. Para a ministra a "situação é dramática".

Os funcionários da Société Nationale des Habitations à Bon Marché (SNHBM) nem queriam acreditar quando chegaram ao seu local de trabalho ontem de manhã. À porta uma dezena de pessoas aguardavam a abertura do local, às 8h30 da manhã, para apresentar a sua candidatura a um projeto de habitação económica, em Hesperange.

Para garantir que eram os primeiros a serem atendidos de manhã, tinham mesmo lá passado a noite em frente ao edifício, como relatou a RTL. Pessoas em cadeiras de campismo, bem enroladas em cobertores ou sacos-camas e com gorros ali pernoitaram para garantir a sua inscrição.

"Situação dramática" para a ministra

A ministra da Habitação Sam Tanson considerou, em declarações à Rádio 100.7 que este caso demonstra “a situação dramática” que vive “o setor imobiliário”.

Sam Tanson ist die erste grüne Wohnungsbauministerin.
Sam Tanson ist die erste grüne Wohnungsbauministerin.
Foto: Pierre Matgé

Horas de espera como a desta dezena de pessoas ao relento “são inaceitáveis” e “mostram o quanto precisamos de agir”, referiu a ministra luxemburguesa, citada pela edição alemã do Wort.

Neste novo empreendimento de preços acessíveis irão ser construídas 14 moradias e 21 apartamentos que serão colocadas à venda a preços cerca de um terço mais baratos, do que os praticados no mercado.  

Casa de 100 metros a 330 mil euros

Segundo a RTL uma casa com 100 metros quadrados neste empreendimento poderá custar apenas 330 mil euros. Nesta região, o mercado imobiliário estipula em 10 mil euros o custo do metro quadrado das habitações.

A verdade é que cerca das 9h00 de quarta-feira à sede da SNHBM já tinham chegado 120 processos de candidatura a este projeto em Hesperange.

Contudo, segundo foi apurado quem reside e trabalha nesta comuna terá prioridade entre os outros candidatos a estas casas económicas.

Sistema tem de mudar

A própria administração da SNHBM agradeceu a quem “passou a noite” à sua porta “pela sua coragem e determinação” que tiveram para “se tornarem proprietários de uma habitação a preço acessível, no mercado nacional”. Um agradecimento divulgado na página do Facebook.

Os responsáveis lembraram também que se “respeita a ordem de receção” das candidaturas e que o “processo deve continuar a ser transparente”, mas o “sistema tem de mudar” e que essas mudanças estão a ser pensadas. Para que não haja necessidade de pernoitas à porta. 

Tudo porque a habitação social e de venda a preços acessíveis é escassa e a especulação imobiliária não para de crescer ao ritmo que os preços das casas aumentam no Luxemburgo. De acordo com um relatório do Tribunal de Contas são precisas construir mais 30 mil habitações sociais no Luxemburgo, para responder às necessidades de 75 mil pessoas.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O preço louco da habitação está a obrigar os luxemburgueses a ir viver para os países vizinhos, e os seus habitantes a deixar de poder morar também na sua terra, como Arlon. O efeito bola de neve da habitação no Grão-Ducado tem diversas direções: filhos adultos a viver mais tempo com os pais, desigualdades a aumentar e o país a deixar de ser atrativo para os emigrantes.