Escolha as suas informações

Invasão ao Capitólio. Bettel considera "ataque hediondo à democracia". Asselborn acusa Trump de ser "criminoso"
Luxemburgo 07.01.2021

Invasão ao Capitólio. Bettel considera "ataque hediondo à democracia". Asselborn acusa Trump de ser "criminoso"

Invasão ao Capitólio. Bettel considera "ataque hediondo à democracia". Asselborn acusa Trump de ser "criminoso"

Foto: Anouk Antony/Luxemburger Wort
Luxemburgo 07.01.2021

Invasão ao Capitólio. Bettel considera "ataque hediondo à democracia". Asselborn acusa Trump de ser "criminoso"

Susy MARTINS
Susy MARTINS
O primeiro-ministro, Xavier Bettel, reagiu à invasão do Capitólio, em Washington, nos Estados Unidos da América (EUA), qualificando-a de “ataque hediondo à democracia e à liberdade da imprensa

Numa publicação na rede social Twitter, o líder do Governo luxemburguês demonstrou-se "confiante no povo norte-americano e nas instituições para ultrapassar estes momentos de divisão". Xavier Bettel diz também "acreditar na determinação do Presidente eleito Joe Biden para voltar a unir o país e o povo".

Outros membros do Governo do Grão-Ducado condenaram os incidentes que provocaram pelo menos quatro mortos esta quarta-feira. À semelhança de Xavier Bettel também Franz Fayot reagiu nas redes sociais. O ministro da Economia declara-se "chocado" com as imagens que chegaram do Capitólio. Fayot denuncia "um ataque inaceitável contra a democracia", demonstrando-se confiante "nos norte-americanos para ultrapassar esta situação".

A ministra da Família, Corinne Cahen, qualificou a invasão ao Capitólio de um ato "incrível e de assustador".


EUA. Quatro mortes e 52 detidos em Washington
Uma das vítimas foi uma manifestante que tinha sido baleada pelas autoridades, dentro do Capitólio, e que se encontrava em estado crítico

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn, foi desta vez tudo menos diplomático, ao acusar o Presidente cessante Donald Trump de "criminoso". Em declarações esta manhã à rádio RTL, o chefe da diplomacia comparou os incidentes desta quarta-feira com os atentados terroristas do 11 de setembro de 2001. Asselborn afirma que "o 6 de janeiro de 2021 é um 11 de setembro contra a democracia e Trump é o seu instigador". O ministro luxemburguês qualificou mesmo Donald Trump de "pirómano político que deve responder perante um tribunal penal".

Os apoiantes do Presidente cessante dos EUA, Donald Trump, entraram em confronto com as autoridades e invadiram o Capitólio, em Washington, esta quarta-feira, enquanto os membros do Congresso estavam reunidos para formalizar a vitória do Presidente eleito, Joe Biden, nas eleições de novembro. Pelo menos quatro pessoas morreram, anunciou a polícia citada pela agência de notícias Associated Press (AP).

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas