Escolha as suas informações

Imigração: Requerentes de asilo permanecem no Luxemburgo apesar da recusa de abrigo
O ministro luxemburguês da Imigração, Jean Asselborn

Imigração: Requerentes de asilo permanecem no Luxemburgo apesar da recusa de abrigo

Foto: Anouk Antony
O ministro luxemburguês da Imigração, Jean Asselborn
Luxemburgo 21.02.2017

Imigração: Requerentes de asilo permanecem no Luxemburgo apesar da recusa de abrigo

Cerca de 400 pessoas requerentes de asilo permanecem no Luxemburgo apesar dos seus pedidos de acolhimento terem sido recusados pelas autoridades do Grão-Ducado.

Cerca de 400 pessoas requerentes de asilo permanecem no Luxemburgo apesar dos seus pedidos de acolhimento terem sido recusados pelas autoridades do Grão-Ducado.

O número foi revelado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros e da Imigração, Jean Asselborn, na resposta a uma questão parlamentar.

O ministro socialista revelou que há cerca de 390 pessoas que se mantêm no país nesta situação.

Mas, revela Jean Asselborn, “há muitos outros” que deixaram, entretanto, o Luxemburgo sem que a Direção da Imigração tenha sido informada.

Dos 390 refugiados a quem foi recusado asilo, 210 são africanos e 180 são pessoas originárias dos Balcãs, esclareceu o ministro da tutela.

Apesar de o Luxemburgo participar ativamente em diversos projetos europeus para melhorar a cooperação com os países de origem dos refugiados, o Grão-Ducado está de mãos e pés atados nesta matéria.

É que há vários fatores que impedem o repatriamento automático de pessoas cujo pedido de asilo tenha sido recusado, nomeadamente por razões de saúde, e assim, lamenta Asselborn, “o país não pode agir nesta matéria, fora do quadro legislativo da União Europeia sobre requerentes de asilo”.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas