Escolha as suas informações

Horesca reivindica autotestes até à uma da manhã
Luxemburgo 09.07.2021
Covid-19

Horesca reivindica autotestes até à uma da manhã

Covid-19

Horesca reivindica autotestes até à uma da manhã

SOPA Images/LightRocket via Gett
Luxemburgo 09.07.2021
Covid-19

Horesca reivindica autotestes até à uma da manhã

Susy MARTINS
Susy MARTINS
A federação nacional de proprietários de hotéis, restaurantes e cafés (Horesca) quer que o Governo prolongue de uma hora a admissão dos autotestes à covid-19.

Com a nova ‘lei covid’, prevista entrar em vigor no dia 16 de julho, os testes rápidos de antigénio não certificados deixam de permitir o acesso a bares, cafés, discotecas ou restaurantes a partir da meia-noite. A Horesca pretende que o Governo altere o horário para a uma da manhã.


Reuniões com mais de 10 pessoas em casa apenas com 'CovidCheck'
Governo decidiu não introduzir medidas mais restritivas contra a pandemia, mas há ligeiras alterações. Cruzamento de vacinas e terceiras doses também vão ser possíveis. Nova lei vai vigorar entre 16 de julho e 14 de setembro.

A meia-noite do dia 16 de julho dita o fim dos autotestes no setor da Horeca, mas só mesmo a partir da meia-noite. Porque quem quiser ir ao restaurante ou a um café e realizar o autoteste no local poderá continuar a fazê-lo até às 24 horas. Depois dessa hora é que já não será possível.

Para entrar num bar ou discoteca a partir do dia 16 de julho após a meia-noite serão apenas aceites os certificados CovidCheck. Isto é: vacinação completa, recuperação da doença ou testes negativos, quer PCR (72 horas) quer de testes rápidos mas certificados por um profissional de saúde (48 horas).

Ora, para a Horesca esta medida traz novas dificuldades ao setor, uma vez que cabe aos estabelecimentos controlar quem a partir da meia-noite tem de sair do restaurante ou café, caso não tenha um certificado CovidCheck.


Mesmo com vacinação completa há risco de contaminação, diz Paulette Lenert
Luxemburgo vai aplicar o cruzamento de vacinas e administrar terceiras doses do fármaco contra a covid-19, anunciou esta quinta-feira o Executivo grão-ducal.

Daí a reivindicação para prolongar o recurso aos autotestes até à uma da madrugada, uma vez que a grande maioria (90%) dos restaurantes e cafés fecha a essa hora. Uma forma de facilitar o trabalho, sem no entanto constituir um risco sanitário sério, segundo a organização.

Num comunicado, a federação questiona ainda o que acontece com os empregados dos estabelecimentos que ainda não foram vacinados e que recorrerem ao autoteste rápido para irem trabalhar. 

Será que também devem abandonar o local à meia-noite ou podem continuar a trabalhar usando uma máscara de proteção? Uma questão em aberto à qual o Governo deverá responder.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Não será à meia-noite mas sim à 1h da manhã que os autotestes vão deixar de ser uma opção para entrar em restaurantes, cafés, bares ou discotecas. A decisão foi hoje anunciada pela ministra da Saúde, Paulette Lenert, em sede de comissão parlamentar da Saúde.