Escolha as suas informações

Horesca prepara reabertura de hóteis e restauração
Luxemburgo 2 min. 30.04.2020 Do nosso arquivo online

Horesca prepara reabertura de hóteis e restauração

Horesca prepara reabertura de hóteis e restauração

Luxemburgo 2 min. 30.04.2020 Do nosso arquivo online

Horesca prepara reabertura de hóteis e restauração

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
A Federação Nacional dos Hotéis Restaurantes e Cafés está a preparar guias de segurança para quando os estabelecimentos forem autorizados a reabrir.

A Horesca já está a preparar guias de segurança sanitária para quando os hotéis, restaurantes e cafés puderem reabrir no Luxemburgo. 

Num comunicado enviado à imprensa esta quarta-feira, 29 de abril, a Federação Nacional dos Hotéis, Restaurantes e Cafés anunciou que a criação de uma lista de procedimentos e recomendações para que os estabelecimentos se preparem em segurança para o seu desconfinamento, cumprindo as obrigações que atual crise pandémica exige e tranquilizando consumidores e trabalhadores, sublinha o organismo.


Fernanda Batalau, empresária portuguesa, chegou ao Luxemburgo há 30 anos.
Fernanda Batalau. "Estou mais preocupada com os meus empregados do que comigo”
Fernanda Batalau chegou ao Luxemburgo em 1990, exatamente há 30 anos. Conhecida empresária no setor da restauração, possui vários estabelecimentos na capital e está a viver momentos dramáticos devido à pandemia.

"A Federação Nacional dos Hotéis, Restaurantes e Cafés do Grão-Ducado está actualmente a elaborar um guia de sanitário para as suas empresas, em colaboração com a Câmara de Comércio e com o apoio da Direcção Geral das Classes Médias do Ministério da Economia. O objectivo é preparar a potencial abertura de estabelecimentos que se comprometam a respeitar um especificações rigorosas mas realistas", refere o comunicado.

Os guias baseiam-se também nas estratégias seguidas em países que já iniciaram o desconfinamento de algumas destas atividades.

Para esse efeito, a Horesca recolheu informação e documentação junto das federações alemãs, DEHOGA o IHA, e das congéneres suíças da Gastrosuisse e da HotellerieSuisse. A ideia é desenvolver um conjunto de normas práticas "que ajudem os hotéis, restaurantes e cafés do Luxemburgo a garantir a segurança adequada".


Remy Manso
Remy Manso. "Estou a perder muito dinheiro, mas vou dar a volta por cima"
É português e uma das maiores referências da restauração no Luxemburgo. Tem 34 anos, possui dez restaurantes e apesar da crise, garante que vai abrir mais um por cada mês que estiverem fechados.

Entre essas medidas está contemplada a criação de um rótulo de certificação de segurança sanitária, face à covid-19 - uma medida que tem estado a ser estudada também pelos hotéis portugueses, para quando reabrirem.

A Horesca adianta que as normas ainda não estão todas especificadas, mas entre elas está já previstas normas concretas para assegurar um distanciamento social suficiente ente trabalhadores e entre clientes, minimizando os contactos. O guia deverá ser posteriormente enviado a todos os estabelecimentos, "para garantir que estejam prontos para uma próxima reabertura", salienta o organismo.

A elaboração desse conjunto de regras surge quando ainda não há uma data definida pelo governo para o desconfinamento do setor. 

A reabertura de hóteis, restaurantes e bares dependerá da evolução da epidemia nas próximas semanas, como adiantou, na terça-feira, o primeiro-ministro, Xavier Betttel, em entrevista à RTL. 

Dentro de duas semanas, "se não houver uma explosão do número de infetados" no Luxemburgo, grande parte das medidas que restringem a circulação no país podem ser levantadas" garantiu o chefe de governo, que apontou também o dia 11 de maio para o anúncio de novas medidas de retoma gradual dos setores económicos.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas